Rali: Pedro Almeida “obrigado” a abandonar

Antes de começar o segundo dia de competição, depois dos comissários de segurança da FIA determinarem que o Peugeot 208 Rally4 da The Racing Factory não garantia as condições de segurança para sair à estrada, a dupla Pedro Almeida e Higo Magalhães foi forçada a abandonar o Rally Islas Canárias.

«Quando nos preparávamos para deixar o parque fechado um dos comissários impediu-nos de sair, depois de verificar que uma das portas do carro não abria e, por isso, sem cumprir as condições técnicas de segurança exigidas obrigou-nos a abandonar» relata o piloto famalicense, que acatou a decisão «com muita frustração».

Pedro Almeida recorda que no primeiro dia teve um ligeiro toque que danificou a porta «e deixamos o carro entregue à The Racing Factory. Ao sair julgávamos que estavam cumpridos todos os requisitos mas…não estavam».

Pedro e Hugo estavam na quarta posição no ERC3 e a fazer um rali dentro das expetativas que levaram para a prova do europeu. «Foi um primeiro dia muito difícil pelas permanentes alterações das condições atmosféricas e nunca encontramos a melhor escolha de pneus. Mesmo assim conseguimos um ritmo que nos deixou de alguma maneira satisfeitos, tendo em consideração as condições e o facto de não ter grande conhecimento da prova». À beira do pódio, a expectativa era evoluir no segundo dia e procurar um melhor registo, «objetivos frustrados pelo abandono».