PSD antecipa eleições internas e Paulo Cunha não se recandidata

O atual presidente da Concelhia do PSD de Famalicão tem mandato até fevereiro do próximo ano, mas o partido vai avançar para eleições internas, a 4 dezembro, e Paulo Cunha não se recandidata. Cumpridos três mandatos, os estatutos não permitem a recandidatura, mas mesmo que o permitissem «não seria candidato», avançou Paulo Cunha à Cidade Hoje.

O anúncio foi feito esta tarde, durante o plenário concelhio que decorreu no auditório da Fundação Cupertino de Miranda.

Paulo Cunha, que recentemente fechou o seu ciclo à frente do Município, entende que este é também o momento de abrir um novo ciclo na concelhia do PSD. «Os ciclos autárquicos têm uma grande influência nos ciclos da Concelhia e faz todo o sentido ajustá-los e, neste caso particular, ajustar as eleições na Concelhia às eleições nacionais que acontecem no mesmo dia. Os estatutos não permitem a recandidatura, embora se pudesse não seria recandidato, tal como o fiz na Câmara Municipal».

Quanto ao perfil do próximo presidente da Concelhia do PSD, Paulo Cunha fala da importância «dos consensos e espero que o próximo presidente mantenha essa linha que já faz parte do nosso património e que foi sempre bem aceite pelos nossos companheiros de partido».

Ao nível da distrital, a que preside, o mandato termina em junho «e se nada se alterar até lá, voltarei a ser candidato», assume Paulo Cunha.