Primeiro-Ministro rejeita deixar idosos fora do acesso prioritário às vacinas

António Costa rejeitou hoje a possibilidade das pessoas maiores de 75 anos sem doenças graves não terem acesso prioritário às vacinas contra a COVID-19.

Em declarações à agência Lusa, e depois de questionado sobre a possibilidade – noticiada hoje, de todos os maiores de 75 anos, sem doenças graves, ficarem de fora do acesso prioritário à vacina contra o novo coronavírus – , o primeiro-ministro assumiu que «há critérios técnicos que nunca poderão ser aceites pelos responsáveis políticos».

Recorde-se que segundo uma proposta de especialistas da Direção-Geral da Saúde (DGS), as pessoas entre os 50 e os 75 anos com doenças graves, os funcionários e utentes de lares de idosos e os profissionais de saúde envolvidos na prestação direta de cuidados deverão ser os primeiros a ser vacinados contra a COVID-19.

Entretanto, na manhã desta sexta-feira, o Ministério da Saúde comunicou que a estratégia de vacinação, em preparação pela DGS, ainda não foi discutida nem validada politicamente. As informações vindas a público, assume a tutela, fazem parte de um documento meramente técnico e são parcelares e desatualizadas».

Most Popular Topics

Editor Picks