Concelho

Pedro Soares: “O que sobra no défice falta à Escola Pública”

O deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo círculo eleitoral de Braga, Pedro Soares, esteve reunido, na passada segunda-feira, com a direção da Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado, em Joane, com o objetivo de apresentar o Projeto de Resolução que visa a “reabilitação urgente” da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado.

Em declaração à imprensa, Pedro Soares afirma que a situação da escola é “preocupante”, uma vez que “apresenta um edificado degradado, com telhados de amianto, sem qualquer tipo de isolamento térmico ou acústico”. Para o deputado bloquista, “os 800 milhões poupados na redução do défice, deveriam ser utilizados no investimento no estado social, nomeadamente, na escola pública”.

“Uma das dimensões do serviço público para uma formação integral de cidadãos é, seguramente, as condições físicas da escola que não podem deixar de estar associadas ao desempenho de alunos/as, professores/as e funcionários/as, bem como às próprias condições pedagógicas”, refere o Bloco de Esquerda no documento entregue na Assembleia da República a 20 de Abril.

Assim, o Bloco de Esquerda pretende que o Governo “tome as medidas necessárias para a rápida reabilitação da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, de modo a criar as condições indispensáveis à concretização do direito à educação e a garantir dignidade a toda a comunidade escolar”.

Bloco reúne com Centro de Emprego de Famalicão

O deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo círculo eleitoral de Braga, Pedro Soares, acompanhado por dirigentes locais do BE Famalicão, esteve também reunido com a direção regional do Instituto de Emprego e Formação Profissional, em Famalicão, com o objetivo de conhecer melhor a situação da população famalicense em termos laborais.

No final do encontro, Pedro Soares referiu que um dos assuntos que motivou esta reunião era perceber a situação de mais de 500 trabalhadoras da Ricon, despedidas na sequência da falência do grupo no início deste ano. Apesar de reconhecer a importância de cerca de 63% dessas trabalhadoras já terem encontrado outro emprego, o deputado considera que ainda há “muito trabalho para fazer”, uma vez que há “um número muito significativo de pessoas à espera de solução”.

O deputado bloquista destacou ainda que “a criação de emprego no concelho é superior à destruição de emprego”, principalmente no setor têxtil, pelo que “é importante perceber a qualidade desse emprego”. “Verificamos que a maioria desse emprego assenta em baixos salários ou vínculos contratuais a prazo”, lamenta.

Pedro Soares referiu ainda que a “melhoria da capacidade económica do país não se reflete na melhoria da situação de vida das pessoas, nomeadamente, para pessoas com mais de 65 anos, cuja capacidade para encontrar o novo emprego é muito abaixo da média da região”. No caso do emprego jovem, o deputado esclarece que “a economia local tem ainda muito dificuldade em reter jovens, levando muitos deles procurar empregos qualificados noutros concelhos ou até mesmo no estrangeiro”.

“É necessário mais investimento público na qualificação e na dinamização da economia e empenho político na alteração da legislação laboral, de forma a combater a precariedade e a cultura de baixos salários”, conclui.

Previous post

Centro Social da Paróquia de Esmeriz promove “Menu à Porta”

Next post

Obras junto ao Centro de Emprego e Casa das Artes de Famalicão concluídas

Cidade Hoje