Paulo Cunha diz que as Câmaras substituíram-se ao Estado na luta contra a Covid-19

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão diz que, numa fase inicial da pandemia pelo covid-19, as Câmara Municipais substituíram-se ao Estado na ajuda com material de proteção individual e na realização de testes.

Paulo Cunha falava aos jornalistas no final da reunião de Câmara da passada quinta-feira, onde o assunto foi abordado.

O autarca famalicense acredita que o país está a entrar numa aparente normalidade no que diz respeito ao acesso a equipamentos de proteção individual, mas no início do combate à pandemia pelo covid-19, garante que as Câmaras foram obrigadas a substituir o Estado em muitas situações. Não fosse isso, afirma que o número de infetados seria maior.

«Há casos em que o Estado não quer saber, não intervém; há casos em que podia intervir mas já seria tardiamente. A realização de testes é disso bom exemplo. Não fosse a ação da Câmara Municipal, ainda hoje os utentes dos lares não tinham sido testados», sublinha o edil.

Recorde-se que a Câmara adquiriu (e também recebeu ofertas) 135 mil máscaras e outros tantos pares de luvas, e 30 mil viseiras. Este material está a chegar às populações do concelho.