Concelho

O que é que Famalicão tem que lhe garante o futuro?

O que existe em Famalicão, o que nos dá o concelho que nos faz feliz e que nos faz sorrir, o que gostamos de usar e desfrutar, o que gostamos de ver, olhar e observar, o que gostamos de oferecer e mostrar e o que queremos continuar a ter no futuro. É esta reflexão que o município quer promover junto de cada famalicense ao longo da realização da 3.ª edição do Festival Visão’ 25, que vai decorrer entre setembro e outubro próximos em todo o território concelhio sob o lema “Marcas de Futuro”.

Para potenciar a participação dos cidadãos, está de regresso ao terreno o sofá amarelo que já se tornou um ícone da participação, do envolvimento e do compromisso cívico comunitário dos famalicenses para com o seu território. A interpelação às pessoas será feita através deste símbolo maior do conforto da cidadania em Famalicão e através da realização de um vasto conjunto de eventos e de atividades que visam identificar os valores atuais concelhios para a sua proteção, valorização e promoção no futuro.

“Pretende-se colocar os cidadãos e os agentes institucionais do concelho a refletirem sobre o território e a pensarem nas melhores estratégias para potenciar as nossas forças. Trata-se, em última análise, de procurar ganhar o futuro de Vila Nova de Famalicão que será seguramente tanto mais forte quanto maior forem concertadas e assumidas as estratégias de desenvolvimento integrado”, assinala o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Este verdadeiro festival da cidadania arranca a 11 de setembro com a sessão de apresentação do programa aos parceiros e coorganizadores das diversas ações e projetos que integram o festival e estende-se até ao dia 26 de outubro com a apresentação pública do Relatório de Sustentabilidade e Responsabilidade Social do município. Pelo meio, a 28 de setembro, realiza-se a Sessão Solene Comemorativa do Dia do Concelho onde serão atribuídos os selos Famalicão Visão’ 25 que reconhecem iniciativas, ações ou projetos, produtos ou serviços inovadores e potenciadores dos valores que marcam a identidade do território e se encontram alinhados com o Plano de Desenvolvimento Estratégico de Vila Nova de Famalicão.

As ações decorrem dos quatro programas-estrela do plano estratégico – Famalicão Made IN, B-Smart Famalicão, Força V-Famalicão Voluntário e Famalicão Comunitário – mobilizando projetos e parcerias sob a forma de sessões “Plataforma”, sessões “Laboratório” e sessões de “Oficina/Animação”. Nas sessões “Plataforma” têm lugar as conferências, colóquios e debates, envolvendo redes de parcerias, agentes locais e regionais. Nas sessões “Laboratório” decorrerão os workshops onde parcerias temáticas e parcerias territoriais debatem e concertam diagnósticos, estratégias, objetivos e ações. Nas sessões “Oficinas/Animação”, agentes e parcerias mobilizam os cidadãos, envolvendo a população na construção do território pela co-criação de projetos e iniciativas e no teste exemplificativo de ações.

Transversal ao programa de atividades e ações programadas decorrerá a iniciativa “Passado em Famalicão” que vai desafiar os famalicenses a recuperarem do baú memórias fotográficas passadas do território e a contrapô-las com o presente como forma de valorização do património local, como fator de identidade e bem comum e processo de recolha de memórias para salvaguarda no futuro. O processo terá uma dinâmica própria nas redes sociais e vai desenvolver-se até 27 de outubro com a hashtag #passadoemfamalicao.

Nesta edição do festival é dada prioridade ao desenvolvimento territorial integrado, participando como parceiras da organização todas as dez Comissões Sociais Inter-Freguesias com ações dedicadas aos primeiros passos na estruturação de projetos-âncora.

Recorde-se que o projeto Famalicão Visão 25 nasceu em 2014 no enquadramento da elaboração do

Plano Estratégico 2014-2025 para o concelho, que apontou para o desenvolvimento de uma comunidade verde tecno-industrial global, num território verde multifuncional. Na altura, a autarquia utilizou o sofá para questionar os famalicenses sobre “como gostariam de ver Famalicão daqui a 10 anos?”, envolvendo-os num verdadeiro ato de cidadania e de participação cívica. Mais de mil pessoas sentaram-se no sofá e partilharam os seus projetos para o futuro com a comunidade.

Entretanto, em 2016, realizou-se a segunda edição do festival, sob o lema “Marcas de Futuro”, com um pedido sério de compromisso e envolvimento dos famalicenses com a comunidade. A questão colocada era “O que podes fazer por Famalicão”, sendo que a resposta implicava diretamente uma vontade e um compromisso. Compromisso esse que se pretende agora renovar com a pergunta “O que mais gosta de Famalicão?” a dar a ignição para uma grande reflexão coletiva sobre o futuro da comunidade.

Previous post

GNR apreende 4229 artigos contrafeitos

Next post

Homenagem à enfermeira famalicense Miquelina Peixoto

Cidade Hoje