O “BÊ-Á-BÁ” DO ARTESANATO PORTUGUÊS APRENDE-SE EM FAMALICÃO

Há mais de duas décadas que, todos os anos, Irene Almeida sai de Coimbra e ruma até Vila Nova de Famalicão para participar na Feira de Artesanato e Gastronomia do concelho famalicense. “São alguns quilómetros, mas não consigo deixar de ir, vale a pena a viagem”, conta a artesã de 65 anos que, apesar de ser já uma habitué nestas andanças, ainda consegue surpreender os visitantes com os seus trabalhos feitos com recurso a materiais pouco usuais – escama de peixe e casca de cebola e alho.

Este ano não será exceção e Irene volta a integrar a lista dos quase 100 artesãos que de 1 a 10 de setembro vão marcar presença no evento e mostrar ao vivo aquilo que têm de melhor. “Vender é claramente um dos objetivos, mas participo nesta feira acima de tudo porque as pessoas gostam do meu trabalho e pelo enorme prazer que tenho em explicar e mostrar o que faço”, refere.

Na mesma situação está José Carlos Sousa, que já quase perdeu a conta aos anos que participa na feira. Para este artesão famalicense de 62 anos, mestre na arte do ferro forjado, a preparação para o certame faz-se com alguma antecedência. “Isto dá muito trabalho. As minhas férias são praticamente passadas a trabalhar”.

E acrescenta: “Mais do que vender vou pelo prazer de fazer a feira e como há cada vez menos gente a trabalhar o ferro, vou também com a missão de mostrar esta arte”.

Mas se há quem ande nisto há muitos anos, há também quem se estreie este ano na Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão. Jerónimo Gaudêncio vem do Alentejo e vai mostrar pela primeira vez em Famalicão como se fazem as botas tradicionais alentejanas.

Vem, explica, “por indicação de alguns clientes nortenhos” que lhe deram um bom feedback da Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão, mas também pelo desejo que tem de levar a sua arte até ao Norte do país.

Refira-se que à beleza e excelência do artesanato, a feira junta ainda os verdadeiros sabores e aromas da gastronomia nacional. Nas tasquinhas provam-se os tradicionais chouriços e presuntos, ricos queijos, os melhores doces, compotas, vinhos e licores. Tudo isto, num ambiente marcadamente popular animado pela presença de grupos folclóricos, cantares ao desafio e muita música tradicional portuguesa. Este ano, são cerca de duas dezenas e meia de espetáculos em dez dias, com referência para os concertos de Maria do Sameiro, banda Filtro, Vitor Jara, Pedra d’Agua, e para os espetáculos das escolas de dança.

A Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão vai já na sua 34.ª edição, é de entrada gratuita e decorre no antigo campo da feira semanal.

Famalicão: Convívio Sénior de Verão em Ribeirão

A Junta de Freguesia de Ribeirão vai realizar um Convívio Sénior de Verão, iniciativa inserida nas comemorações da Festa da Vila, no dia 5 de julho, em frente às piscinas, no recinto das barraquinhas.

As inscrições já estão abertas e destinam-se a pessoas a partir dos 65 anos e aos reformados. Para tal, devem fornecer o nome, a morada e data de nascimento até ao dia 28 junho, na sede da Junta de Freguesia.

Do programa deste convívio já se sabe que será animado pelo grupo de Cavaquinhos do CCD Ribeirão.

Foto: Paulo Pereira

Famalicão: Assinado contrato para comprar e reabilitar habitações em cinco freguesias

Esta quarta-feira, na CCDR Norte, o presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, assinou o contrato de financiamento do Plano de Recuperação e Resiliência, de 20 milhões de euros, para a aquisição e reabilitação de 86 habitações.

Estes fogos habitacionais situam-se em Delães, Fradelos, Gondifelos, Castelões e Oliveira São Mateus.

Recorde-se que o Município de Famalicão prevê investir cerca de 50 milhões de euros na aquisição de mais de 300 novas frações habitacionais com o apoio do PRR.

A cerimónia desta quarta-feira foi presidida pelo Ministro das Infraestruturas e Habitação, Miguel Pinto Luz, acompanhado pelo Ministro Adjunto e da Coesão Territorial, Manuel Castro Almeida.

Foto CCDR Norte

Famalicão acorda para o último dia das Antoninas após noite apoteótica

Depois da memorável noite/madrugada, com o desfile e exibição das 10 marchas, que consagrou a ARCA como a grande vencedora, num espetáculo presenciado por milhares de pessoas, as festas do concelho terminam esta quinta-feira, feriado municipal.

O último dia das Festas Antoninas tem um programa religioso muito forte: às 10h30, na Praça D. Maria II, celebra-se a missa solene em honra de Santo António, que será presidida por D. José Cordeiro, arcebispo de Braga. Após a missa tem lugar a distribuição do pão de Santo António, uma tradição que se repete todo os anos e que está prevista para as 12 horas.

Na parte da tarde, por volta das 14h30, música filarmónica ao despique, na Praça D. Maria II entre a Banda de Música de Famalicão e a Banda de Música de Riba de Ave. Por volta das 17 horas, sai a procissão solene em honra de Santo António, com início junto à Capela de Santo António, na Rua Alves Roçadas, e percurso por várias ruas da cidade. Por volta das 17h45, será descerrada uma placa comemorativa dos 100 anos da Capela de Santo António.

Fora do programa religioso, às 18h30, na Praça D. Maria II, serão entregues os prémios das Marchas Antoninas. As festas terminam no Parque da Devesa: pelas 22 horas atua Buba Espinho; às 24 horas, junto à Praça da Cidadania, será projetada uma sessão de fogo de artifício – sessão piromusical.

ARCA é a vencedora das Marchas Antoninas 2024

A ARCA – Associação Recreativa e Cultural de Antas foi a estrela mais cintilante da grande noite das Marchas Antoninas de Vila Nova de Famalicão, com os perto de 100 marchantes da associação a conquistarem o júri do desfile. Com um total de 90 pontos, a marcha de Antas arrecadou ainda os prémios de “Melhor Coreografia”, “Melhor Guarda-Roupa” e “Melhor Música”.

Em segundo lugar ficou a Associação Cultural e Desportiva São Martinho de Brufe, com 82 pontos, que foi ainda eleita a “Marcha Mais Popular”. Em terceiro lugar ficou a Associação Cultural e Recreativa São Pedro de Riba de Ave, com 71 pontos, conquistando ainda o prémio de “Melhor Letra”.

O prémio de “Melhores Arcos” foi atribuído à LACS – Associação Cultural São Salvador da Lagoa.

Quem acompanhou tudo desde o primeiro minuto – primeiro nas ruas e depois nas bancadas nos Paços do Concelho – foi o presidente da autarquia Mário Passos. O edil fala “numa noite memorável” resultado “do esforço, dedicação, garra e profissionalismo” dos mais de 1200 marchantes que durante meses prepararam ao pormenor o desfile que marca a noitada de Santo António no concelho famalicense.

“É incrível o ambiente que se vive em toda a cidade. Estão a ser umas grandes Antoninas”, acrescentou, felicitando e agradecendo a todos aqueles que se envolveram não só nas Marchas, como em todos os momentos do programa das festas.

A euforia e o entusiamo do público, que encheu as ruas do centro da cidade e os Paços do Concelho, trouxeram ainda mais brilho e encanto aquele que é o ponto alto das Festas Antoninas de Famalicão.

O júri das marchas foi composto por um grupo de personalidades independentes e qualificadas de fora do concelho, com experiência na avaliação dos diferentes critérios que estiveram em análise.

Refira-se que as Festas Antoninas terminam esta quinta-feira, 13 de junho, com o dia dedicado às festividades religiosas em honra de Santo António, feriado municipal em Famalicão. Primeiro com a Missa Solene e a distribuição do Pão de Santo António, a partir das 10h30, e depois com a Procissão Solene, a partir das 17h00. À noite, nota para o grande espetáculo de encerramento, com o concerto de Buba Espinho, a partir das 22h00, no Parque da Devesa (junto ao lago) e com uma sessão de fogo de artificio com uma grande diversidade de efeitos pirotécnicos, também na Devesa.

Resultados Finais Marchas Antoninas 2024

1. Arca – Associação Recreativa e Cultural de Antas (90 pontos)
2. Associação Cultural e Desportiva S. Martinho de Brufe (82 pontos)
3. Associação Cultural Recreativa S. Pedro de Riba D’Ave (71 pontos)
4. LACS – Associação Cultural S. Salvador da Lagoa (68 pontos)
5. Associação Recreativa e Cultural Flor do Monte (Carreira) (68 pontos)
6. Associação Coração – Vale S. Cosme (68 pontos)
7. Associação Sentir a Terra União Gondifelos, Cavalões e Outiz (64 pontos)
8. Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Famalicenses (58 pontos)
9. Associação Unidos de Avidos (55 pontos)
10. Comissão de Festas Divino Salvador de Ruivães (49 pontos)

Famalicão: Feriado Municipal com missa, pão de St.º António, procissão e Buba Espinho

O último dia das Festas Antoninas tem um programa religioso muito forte. Esta quinta-feira, feriado municipal, às 10h30, na Praça D. Maria II, celebra-se a missa solene em honra de Santo António, que será presidida por D. José Cordeiro, arcebispo de Braga. Após a missa tem lugar a distribuição do pão de Santo António, uma tradição que se repete todo os anos e que está prevista para as 12 horas.

Na parte da tarde, por volta das 14h30, música filarmónica ao despique, na Praça D. Maria II entre a Banda de Música de Famalicão e a Banda de Música de Riba de Ave. Por volta das 17 horas, sai a procissão solene em honra de Santo António, com início junto à Capela de Santo António, na Rua Alves Roçadas, e percurso por várias ruas da cidade. Por volta das 17h45, será descerrada uma placa comemorativa dos 100 anos da Capela de Santo António.

Fora do programa religioso, às 18h30, na Praça D. Maria II, serão entregues os prémios das Marchas Antoninas. As festas terminam no Parque da Devesa: pelas 22 horas atua Buba Espinho; às 24 horas, junto à Praça da Cidadania, será projetada uma sessão de fogo de artifício – sessão piromusical.

Famalicão: Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous volta a invadir o centro urbano

A décima edição do Vaudeville Rendez-Vous, festival de circo contemporâneo que toma conta das ruas e praças das quatro cidades do Quadrilátero Cultural, incluindo VN Famalicão, é apresentada na próxima quarta-feira, às 15 horas, na Casa das Artes.

Este festival internacional, que apresenta uma vasta diversidade artística composta por espetáculos, oficinas de formação, e um programa paralelo dedicado a artistas, estudantes e agentes culturais, é uma iniciativa do Teatro da Didascália, com o apoio dos municípios de Barcelos, Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão e decorrerá de 16 a 20 de julho.

Na conferência de imprensa será desvendada toda a programação desta iniciativa que nasceu pela mão do Teatro da Didascália, de Joane.

O festival promove, desde 2014, as múltiplas facetas do circo contemporâneo, confrontando o público com o desconhecido e apelando à curiosidade e ao espírito crítico de uma audiência mais abrangente. Refira-se que o Teatro da Didascália – cooperativa cultural fundada em 2008 – integra várias redes internacionais, acompanhando o processo de seleção de artistas nacionais e internacionais da plataforma Circusnext e do projeto de cooperação europeu CircusLink.

Foto arquivo