Ministro não dorme a pensar nos problemas das empresas

«Todos os dias tenho dificuldade em adormecer ao pensar no conjunto de empresas que estão nestas dificuldades, nos trabalhadores afetados por medidas e no que podemos fazer, sempre sabendo que nunca vamos chegar a toda a gente e cobrir tudo», disse o Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Siza Vieira, em declarações ao ECO.

O governante reconhece que «as microempresas em particular têm reservas de caixa muito insuficientes, têm dificuldade em períodos longos com quebra de faturação».

Pedro Siza Vieira anunciou que o Banco de Fomento já está a funcionar e apresenta linhas de apoio para as empresas que devem estar disponíveis ainda este mês.

Uma das linhas, de 750 milhões de euros, destina-se à indústria exportadora, considerada estratégica, com possibilidade de conversão de 20% do crédito como subsídio a fundo perdido, consoante a manutenção de postos de trabalho. A outra linha de crédito foca-se nas empresas de eventos. Estão disponíveis 50 milhões, com possibilidade de 20% como subsídio a fundo perdido.