Mercadona amplia capacidade logística com novo armazém na Póvoa de Varzim

A Mercadona, quem tem um espaço comercial em Famalicão, ampliou a capacidade de armazenamento do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim com uma nova nave de 12.000 m2. Este novo armazém, construído num terreno de 50.000 m2, adjacente ao que funciona desde 2019, vem dar resposta à evolução do projeto de expansão da empresa em Portugal e representou um investimento de 24,5 milhões de euros.

Com a criação desta nave, que se junta às outras duas que a empresa já tinha em funcionamento, o espaço foi totalmente reconfigurado. Assim, os novos 12.000 m2 passam a armazenar as frutas e legumes que diariamente saem para os supermercados da cadeia em Portugal. Além disso, fruto do seu modelo de logística sustentável e em colaboração com a Logifruit, haverá uma área, com cerca de 3.000 m2, dedicada à gestão de embalagens.

Adicionalmente, a superfície onde está inserido o novo armazém conta com uma área de 17.000 m2 de zonas verdes e 100 lugares de estacionamento, dois dos quais destinados ao carregamento de veículos elétricos, ligados à rede MOBI.E, indo ao encontro do compromisso da empresa para com a mobilidade elétrica.

Em 2019, a Mercadona arrancou com a operação do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim com duas naves, tendo investido 60 milhões de euros. No total, a empresa já investiu 84,5 milhões de euros no desenvolvimento deste projeto no concelho vizinho, que conta com três naves implantadas numa área total de 100.000 m2, contabilizando 350 postos de trabalho, dos quais 20 foram criados para dar resposta a este novo projeto de ampliação, sendo que a empresa continua com processos de recrutamento, através do portal de emprego https://www.mercadona.pt/pt/emprego.

Carlos Lopes, diretor do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim, considera que a expansão do mesmo «é uma grande aposta na garantia de melhor serviço às nossas lojas, tendo em conta as necessidades dos clientes. Acreditamos que esta é uma evolução natural para respondermos às necessidades de expansão em Portugal e esperamos que com o reforço da rede logística continuemos a assegurar a satisfação dos portugueses que escolhem diariamente a Mercadona como o seu supermercado de confiança».

Aires Pereira, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, reconhece «que o impacto, dimensão e peso que uma empresa internacional como a Mercadona tem na economia local – e principalmente no crescimento do nosso Parque Industrial de Laúndos – reflete-se significativamente também ao nível do aumento do emprego no concelho. Metade do número total de colaboradores nestas três unidades reside na Póvoa de Varzim», município que «continuará a apoiar o investimento no nosso concelho, especialmente por parte de empresas como a Mercadona, de base familiar e assentes em políticas de preocupação ambiental, nomeadamente ao nível da produção de plásticos e de estratégias de economia circular, e de responsabilidade social, pautada por contratações sem termo, salários-base acima do ordenado mínimo nacional e pleno respeito pela igualdade de género».

Mercadona participa na recolha de alimentos do Banco Alimentar contra a Fome

A Mercadona associa-se, uma vez mais, à campanha recolha de alimentos organizada pelo Banco Alimentar Contra a Fome, que começou esta sexta-feira e termina a 5 de junho. A empresa coloca à disposição desta campanha todos os seus pontos de venda nos distritos onde está presente, no Porto, Braga, Aveiro e Viana do Castelo.

A Mercadona colabora nesta iniciativa social com o compromisso de motivar os clientes a participar nesta grande campanha solidária, que consiste na doação monetária, em múltiplos de 1€, que pode ser efetuada nas caixas de pagamento no momento da compra. As quantidades doadas serão convertidas em alimentos pela Mercadona e entregues aos respetivos bancos alimentares, chegando, assim, a quem mais precisa.

Isabel Jonet, presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, destaca que «o apoio da Mercadona aos Bancos Alimentares que, na campanha de recolha se intensifica pela mobilização dos clientes para a luta contra a fome, é muito importante e revela elevada responsabilidade social e preocupação com os mais carenciados das comunidades em que as lojas estão implantadas».

Em 2021, a empresa doou 1.400 toneladas de alimentos e produtos de primeira necessidade a cantinas sociais, bancos alimentares e outras entidades sociais de Portugal, que correspondem a 23.300 carrinhos de compra. A Mercadona colabora em Portugal com 30 cantinas sociais e 4 bancos alimentares entre outras instituições que recebem diariamente doações para apoiar pessoas que se encontram em situações de carência.

Famalicão: iTechStyle Awards premeiam Louropel na categoria “Acessórios”

A Louropel, empresa de produção de botões de Vila Nova de Famalicão, foi galardoada na categoria “Acessórios”, que premeia a qualidade e inovação do produto da empresa com sede no Louro. A distinção foi entregue na noite desta quinta-feira no decurso da Conferência Internacional do Têxtil e Vestuário – iTechStyle Summit, que está a decorrer até esta sexta-feira, no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões.

Organizado pelo CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal com o apoio do Município de Famalicão – Cidade Têxtil, no iTechStyle Summit têm sido debatidas as tendências atuais, estratégias, oportunidades e desafios com foco em áreas como a sustentabilidade e economia circular, digitalização e indústria 4.0, performance e saúde e bem-estar, com académicos e empresários a partilharem e aprofundarem contributos para o futuro do têxtil e vestuário.

«O CITEVE, a partir de Famalicão, tem promovido uma trajetória de evolução do setor e contribuído de forma decisiva para contrariar aquela ideia de que o têxtil em Portugal teria os dias contados. Esta conferência, que tem como temática a sustentabilidade, é um bom exemplo desta permanente atenção e adaptação do setor à economia global» disse o presidente da Câmara de Famalicão, Mário Passos, no decorrer do jantar de Gala de atribuição dos iTechStyle Awards.

Famalicão: Feira do Empreendedorismo abre na tarde desta sexta-feira

O empreendedorismo famalicense vai mostrar-se, esta sexta-feira e sábado, no centro da cidade. A Feira do Empreendedorismo vai ocupar o espaço da Praça D. Maria II com um conjunto de empresas e marcas que vão dar a conhecer as suas ideias empreendedoras, novos conceitos de negócio e produtos inovadores. O certame abre às 15 horas desta sexta-feira, com a presença de Mário Passos, presidente da Câmara Municipal.

O espaço servirá, também, para o debate e discussão entre empreendedores, jovens, parceiros e investidores. É o que vai acontecer com o encontro que se realiza no primeiro dia sobre “O Futuro das Startups”, no auditório da Fundação Cupertino de Miranda, a partir das 17h00, e que tem como oradores Francine Beleyi, especialista em gestão de marca e estratégia digital, Pedro Rodrigues, docente universitário e especializado em marketing estratégico, Bruno Silva, coach e consultor e Teresa Dieguez, especialista em estratégia e empreendedorismo.

O evento tem inscrição gratuita, mas está sujeito a inscrição que pode ser feita em www.famalicaomadein.pt

Famalicão: Mário Passos pede mais investimento em acessibilidades para reforçar capacidade exportadora das empresas

O presidente da Câmara Municipal reclamou mais e melhores acessibilidades para sustentar «a grande capacidade exportadora do tecido industrial do concelho e da região» e apontou como exemplo a necessidade de uma nova ligação ao concelho vizinho de Santo Tirso, que substitua a travessia existente da ponte da Lagoncinha, em Lousado.

A reivindicação foi lançada esta quarta-feira, no Terminal do Porto de Leixões, durante a iTechStyle Summit, Conferência Internacional do Têxtil e Vestuário, que reúne um conjunto de players do setor, académicos, investigadores, clusters e agentes de todo o mundo. Aproveitando a presença do Secretário de Estado da Economia, João Neves, Mário Passos lembrou que o contributo de Famalicão para a balança comercial nacional regista um superavit de mais de 1000 milhões de euros «e temos a convicção de que com melhores acessibilidades as nossas empresas seriam capazes de criar ainda maior riqueza para o país». O autarca deu, então, como exemplo «a pequena travessia sobre o rio Ave, em Lousado, de ligação ao concelho de Santo Tirso, que está estrangulada na ponte romana da Lagoncinha».

O edil lançou o repto ao Governo para que «neste início de mandato olhe para este território que, com as suas empresas, quer evoluir, ser competitivo, na certeza que com o investimento Portugal sai a ganhar». De resto, Mário Passos garantiu a João Neves que «encontrará na Câmara Municipal um parceiro sempre disponível para ajudar a desenvolver as políticas públicas acertadas e ajustadas às necessidades do território».

CIM divulga Oferta Formativa do Ensino Profissional no território do Ave

A Comunidade Intermunicipal do Ave arrancou, esta semana, com a divulgação da Oferta Formativa do Ensino Profissional para próximo ano letivo. Estão aprovadas 80 turmas, distribuídas por diferentes áreas e cursos profissionais, que poderão ser consultados em Bookletsemmapa_v3 (cim-ave.pt)
Esta oferta é resultado de um processo de concertação intermunicipal da rede de oferta formativa, junto dos municípios e das escolas que integram o território do Ave, seguindo uma estratégia de alinhamento com as necessidades e expectativas empresariais e sociais do território.

Desta forma, a CIM do Ave assume-se como parceiro fundamental na procura da melhoria contínua e estratégica do Sistema Nacional de Qualificações e no reforço da confiança e valorização das modalidades de Educação e Formação Profissional. Aliás, tem sido da responsabilidade desta Comunidade Intermunicipal mobilizar e facilitar a implementação do Modelo de Aprofundamento Regional do SANQ – Sistema de Antecipação de Necessidades de Qualificações, em articulação com a DGEstE, municípios, escolas com ensino profissional e outros agentes que atuam no território, no âmbito da formação profissional.

Desenvolvida em conformidade com o Referencial Metodológico definido pela ANQEP, I.P., esta oferta pretende, ainda, responder às efetivas necessidades do território da NUT III Ave, numa perspetiva de desenvolvimento estratégico, mas sem romper com a capacidade instalada da oferta do território que contempla os municípios de Vila Nova de Famalicão, Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães, Mondim de Basto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho e Vizela.

Famalicão: Forave entre os finalistas do Prémio Energy Up da Galp

A Forave – Escola Profissional Tecnológica do Vale do Ave é uma das finalistas da edição de 2022 do Prémio Energy Up, competição em que a Fundação Galp distingue, anualmente, os projetos escolares que promovam consumos energéticos mais eficientes e a mobilidade sustentável.

São dez as finalistas e a escola vencedora do “Grande Prémio” terá direito à instalação de painéis solares da Galp Solar até um valor de 20 mil euros. Os outros prémios, distribuídos por nível de escolaridade, oscilam entre os 1.000 e os 250 euros para financiamento dos respetivos projetos, em tickets de educação para o agrupamento escolar.

A Forave foi selecionada pelo projeto “Árvore Tecnológica”, que consiste na instalação de uma ‘árvore’ de painéis solares, junto da estação de comboios e do museu ferroviário de Lousado, de forma a disponibilizar aos transeuntes um ponto de carregamento dos seus dispositivos elétricos, sem encargos financeiros. A árvore foi inaugurada a 25 de março de 2022 e o projeto prevê a instalação de mais “árvores” por diversos pontos do concelho.

A cerimónia para o anúncio dos vencedores da edição de 2022 do prémio Energy Up – bem como a entrega dos prémios – está agendada para o dia 2 de junho, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.