Máscaras sociais produzidas pela têxtil nacional já estão à venda

Já estão a ser comercializadas as máscaras sociais produzidas pela indústria têxtil nacional, segundo as especificações aprovadas pelo Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde e pelo Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (Citeve).

A Famifardas, empresa famalicense especializada na personalização de vestuário laboral, com loja na Rotunda de Santo António, já comercializa as máscaras sociais, que estão disponíveis em algodão e poliéster, todas reutilizáveis, «podendo aguentar cinco 10 ou 20 lavagens, dependendo do modelo. As máscaras estão disponíveis com preços a partir de 1,5 euros», informa Sérgio Costa, diretor comercial da empresa.

As máscaras sociais são dispositivos de proteção face à covid-19 para uso comum da população na sua vida social. Ou seja, são máscaras não cirúrgicas que asseguram proteção para uso generalizado da população em espaços fechados, como supermercados, farmácias ou transportes públicos.

Entre os materiais autorizados está o algodão, o poliéster ou a combinação dos dois. Recorde-se que uma orientação da Direção-Geral da Saúde refere «o uso de máscaras por todas as pessoas que permaneçam em espaços interiores fechados com múltiplas pessoas, como medida de proteção adicional ao distanciamento social, à higiene das mãos e à etiqueta respiratória».