Mais de 100 mil crianças e jovens isolados desde que recomeçaram as aulas

Mais de cem mil crianças e jovens testaram positivo ao SARS-CoV-2 desde que as aulas recomeçaram, a 10 de janeiro, e tanto pais como alunos alertam para problemas de aprendizagem com as aulas à distância.

Desde que recomeçaram as aulas após as férias do Natal surgiram 106.553 novos casos de infeção entre crianças e jovens até aos 19 anos, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados divulgados entre 10 de janeiro e esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Em 10 dias, registaram-se 51.218 novos casos em crianças até aos nove anos e 55.335 novos casos de infeção em jovens entre os 10 e os 19 anos.

São milhares de alunos em isolamento por estarem infetados ou viverem com pessoas que testaram positivo ao SARS-CoV-2, que provoca a covid-19. Os casos sucedem-se, dificultando a tarefa de ensinar e de aprender.

“Não está a ser nada fácil. É mesmo muito complicado. Em todas as escolas há turmas com alunos positivos ou isolados”, contou o presidente da Associação Nacional de Diretores Escolares (ANDE), Manuel Pereira, estimando que “mais de 5% dos alunos” estejam atualmente em casa.

Professores e diretores admitem que é difícil ensinar com parte dos estudantes na escola e outros em casa.

“Dar aulas desta forma é muito complicado, porque é normal que o professor de repente só se foque em quem tem à sua frente ou em quem está no ecrã do computador. Inconscientemente pode deixar alunos de `fora´”, contou à Lusa o líder do Sindicato de Todos os Professores (S.TO.P), André Pestana.

A Lusa falou com estudantes de escolas públicas e privadas que estão em isolamento e dizem ter muitas dificuldades em conseguir acompanhar as aulas a partir de casa.

Maria, aluna do 12.º ano, está a ter aulas em casa esta semana porque um dos irmãos testou positivo. À Lusa explicou que “é muito difícil” acompanhar as aulas: “Nunca consigo ouvir as respostas dos meus colegas e muitas vezes é difícil perceber tudo o que diz o professor”.

Para a aluna de um colégio em Lisboa era “muito mais fácil” quando todos os seus colegas estavam em isolamento: “Quando a turma estava toda em casa, os professores davam as aulas `online` e era muito mais fácil acompanhar a matéria, porque os professores também estavam em frente ao computador”.

As regras de confinamento nas escolas mudaram depois das férias de Natal: Até ao final do ano passado, o aparecimento de um caso positivo obrigava ao isolamento de toda a turma, agora ficam em casa apenas os alunos infetados ou que vivam com pessoas que testaram positivo.

A ideia é corroborada pelo presidente da ANDE: “Antes, quando surgia um caso positivo, a turma ia toda para casa e os professores davam as aulas `online`. Agora temos alunos na sala e outros em casa e os professores não conseguem fazer as duas coisas ao mesmo tempo”.

Manuel Pereira lembra ainda que há escolas sem condições técnicas para transmitir as aulas `online` com a qualidade necessária, e mesmo quando as condições existem, nem sempre é possível transmitir tudo o que se passa numa sala de aula: “O professor não anda com uma câmara fixa à cabeça. Tanto está a escrever no quadro como a usar o manual”, disse.

Ao S.TO.P têm chegado “relatos de vários encarregados de educação que se queixam das escolas dos filhos”, contou à Lusa o líder do sindicato.

“Há uma grande disparidade de situações. Há escolas que tentam manter os alunos ligados e outras, mesmo ao lado, onde não há nenhum tipo de ensino à distância. Temos denúncias de pais que dizem que a escola só garante o ensino presencial e, por isso, os alunos que estão em casa não conseguem acompanhar a matéria”, contou André Pestana.

Foi o caso de Mariana, aluna do 10.º ano de uma escola pública também em Lisboa. Antes do Natal, ficou em isolamento profilático, porque os pais testaram positivo, mas “nem sequer lhe foi dada a possibilidade de assistir às aulas `online`”, contou à Lusa a mãe da aluna.

“Avisámos a escola, mas nesse período nunca teve aulas síncronas. Nos primeiros dias, nem sequer recebemos qualquer tipo de informação da parte da escola sobre a matéria que estava a ser dada”, lamentou a mãe, que pediu anonimato.

Manuel Pereira, garante que, apesar de tudo, as escolas se esforçam para não deixar nenhum aluno para trás.

Filinto Lima, presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Publicas (ANDAEP), sublinha que apesar dos problemas, o atual modelo é o melhor para a saúde mental dos alunos.

“Claro que há constrangimentos, mas estamos numa pandemia e estar na escola é sempre melhor para a saúde mental dos alunos. Em casa os alunos definham, enquanto na escola podemos cuidar deles e acompanhá-los. Mesmo que as aprendizagens estejam temporariamente limitadas, é muito importante cuidar da sua saúde mental dos nossos alunos”, defendeu Filinto Lima.

Famalicão: GNR apanha homem a conduzir alcoolizado na cidade cerca das 4 da manhã

A Guarda Nacional Republicada deteve, esta madrugada, na cidade de Famalicão, um homem por condução de veículo com taxa de alcoolemia superior à permitida por lei.

O condutor, com 41 anos de idade, apresentou uma TAS de 1,68 g/l no sangue.

Depois de detido foi notificado para comparecer no tribunal.

Braga: Sinalização dos Caminhos de São Bento da Porta Aberta vandalizada

A sinalização dos caminhos de São Bento da Porta Aberta foram recentemente vandalizados.

A denuncia foi feita Carlos Dobreira, ativista bracarense, que encontrou a sinalização destruída na freguesia de Palmeira.

“Não se sabe a data em que ocorreram estes atos de vandalismo. No caso da Travessa do Monte, ainda é possível observar pedaços das placas de sinalização. Esta zona de Palmeira conheceu recentemente outros atos de vandalismo no parque infantil da Ortigueira, sendo exemplo o desmantelamento de um frigorífico e pichagens no parque em apreço”, escreveu o cidadão nas redes sociais.

Trofa: Jovem desaparecida desde esta terça à tarde já foi encontrada e está bem

Uma jovem, dada como desaparecida desde ontem à tarde, na Trofa, já foi localizada.

A adolescente esteve a ser procurada durante toda a madrugada desta quarta-feira, tendo sido encontrada ao início do dia.

À Cidade Hoje, fonte próxima da família diz que a jovem já está com familiares e afirmou que “está tudo bem”.

 

 

Alerta Burla: Homem consegue milhares de euros a alugar supostas casas de férias no Algarve

Um homem, que se identifica nas redes sociais com o nome de Paulo Cartaxo, já terá burlado dezenas de pessoas com falsos alugueres de casas de férias no Algarve.

O indivíduo coloca os anúncios nas redes sociais e aguarda o contacto dos interessados. Depois, a conversa mantém-se por mensagens escritas e clips de voz, onde o alegado burlão passa a ideia de que esta é uma boa oportunidade de negócio informando, praticamente de imediato, que a pessoa interessada terá que transferir um sinal equivalente a pelo menos metade do valor total da reserva.

Pelo meio, Paulo Cartaxo alega que a casa é de família e só não está habitada nos meses de verão, afirmando também que não está legalizada como alojamento local e, por isso, tem urgência em tratar dos alugueres.

Alguns dos interessados, acreditando que estão perante um bom negócio, acabam por transferir elevadas quantias em dinheiro sendo que após esse momento começam a surgir os problemas.

Segundo algumas testemunhas, após o pagamento da primeira parte, o alegado burlão solicita à pessoa interessada a transferência da restante quantia correspondente ao valor total da reserva, dizendo ter sido aconselhado pelas finanças a fazê-lo de forma a que consiga justificar esse valor, pelo facto de não ter a casa legalizada para alojamento local.

Algumas das vítimas acabam por transferir o valor solicitado, outras, já desconfiadas da situação, pedem o cancelamento da suposta reserva e a devolução do dinheiro, algo que acaba por nunca acontecer. Paulo Cartaxo bloqueia os contacto e nunca mais acontece a restituição do montante já avançado pelas pessoas interessadas.

Testemunho de uma das pessoas que afirma ter sido vítima do alegado burlão

Nas redes sociais, num grupo dedicado à procura de casas de férias no Algarve, o assunto tem sido discutido entre vários membros que, de uma forma informal, tentam ajudar as autoridades a localizar o homem, através da partilha de vários testemunhos e mensagens de voz da pessoa em questão.

Nesta publicação é feito um apelo: Quem reconhecer a voz da pessoa responsável por este alegado crime de burla, deve reportar de imediato as autoridades.

 

Vídeo: Passageiro de voo TAP que partiu do Porto decidiu fumar e acabou amarrado pela tripulação

No início desta semana, um voo com partida do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, e destino ao Brasil, ficou marcado por um comportamento errático por parte de um dos passageiros.

O homem, visível na fotografia que ilustra este artigo, terá sido apanhado a fumar em pleno voo. Depois de confrontado pela tripulação, o passageiro adotou um comportamento violento e tentou agredir o comissário de bordo.

Assim que foi travado, o homem acabou por ser amarrado e, já no destino, entregue às autoridades.

Fonte: CNN Portugal

Portugal: Aprovado aumento de até 10 euros das pensões

O parlamento aprovou hoje a atualização extraordinária até 10 euros para os pensionistas que recebem até 1.108 euros, um valor que será pago com a entrada do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) e com retroativos a janeiro.

A medida foi aprovada com os votos a favor de todas as bancadas parlamentares e a abstenção do Chega durante as votações na especialidade da proposta de OE2022 que decorre na Assembleia da República.

As propostas de alteração apresentadas pelos restantes partidos sobre o aumento das pensões foram todas rejeitadas.

“Em 2022, o Governo procede a uma atualização extraordinária das pensões, com efeitos a 01 de janeiro de 2022”, estabelece a proposta orçamental.

De acordo com o documento, “a atualização extraordinária é efetuada pelo valor de 10 euros por pensionista, cujo montante global de pensões seja igual ou inferior a 2,5 vezes o valor do indexante dos apoios sociais (IAS)”, ou seja, até 1.108 euros.

O valor da atualização regular anual, efetuada em janeiro, é incorporado no valor da atualização extraordinária.

“Os retroativos que sejam pagos ou colocados à disposição dos pensionistas, em virtude da atualização extraordinária prevista no presente artigo, são objeto de retenção na fonte autónoma, não podendo, para efeitos de cálculo do imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) a reter, ser adicionados às pensões dos meses em que são pagos ou colocados à disposição”, pode ler-se no documento.

Segundo a iniciativa, a taxa de retenção a aplicar aos retroativos “é a que corresponder ao valor das pensões referentes ao mês em que aqueles são pagos ou colocados à disposição”.

O aumento extraordinário deverá chegar a cerca de dois milhões de pensionistas e terá um custo da ordem dos 200 milhões de euros, de acordo com o executivo.

Em 2021, o aumento extraordinário foi pago aos pensionistas que recebem até 658 euros (1,5 IAS).