Já sabe onde vai votar?

São várias as formas de saber onde tem que ir votar e a que secção de voto tem que se dirigir.

  • Se estiver com acesso à internet, saiba que pode obter essa informação através do site https://www.recenseamento.mai.gov.pt/ basta preencher os dados que lhe são solicitados.
  • Por SMS basta enviar uma mensagem para o número 3838, com “RE (espaço) número de CC/BI (espaço) data de nascimento”, escrevendo a data a começar pelo ano, mês e dia de nascimento [aaaammdd].
  • Através da APP do Mai pode também obter essa informação. Aceda ao menu Serviços e depois selecione Saiba onde irá votar.

As urnas de voto estarão abertas até às 19h00 deste domingo.

Famalicão: Eduardo Oliveira quer PS a crescer para «servir Famalicão»

Eduardo Oliveira apresentou as linhas programáticas da sua candidatura à presidência da Comissão Política do Partido Socialista, cujas eleições se realizam no dia 8 de outubro. Recorde-se que além de Eduardo Oliveira, atual presidente da concelhia, também Bruno Cunha tenta a sua eleição.

Esta sexta-feira, Eduardo Oliveira vai esmiuçar as linhas da sua candidatura «Todos por Famalicão”, mas à comunicação social adianta que o objetivo principal (se for reeleito) é «continuar a crescer para servir Famalicão». Este é o título da sua moção estratégica que vai apresentar ao partido, e onde se pode ler que uma das principais linhas de ação é a organização dos “Encontros Autárquicos Famalicão 2025”. Em itens, Eduardo Oliveira diz que é objetivo da sua candidatura a realização de debates trimestrais com todos os eleitos para a prestação de contas; quer ouvir a comunidade e criar gabinetes de estudos em diversas áreas. Estão também definidas como importantes a «criação de um grupo de cooperação com as secções de Vila Nova de Famalicão e Riba de Ave e freguesias no sentido de fazer um acompanhamento e apoio aos membros das Assembleias de Freguesia, assim como a criação de um Núcleo Concelhio de Apoio e Formação».

O candidato promete também formação política aos eleitos em diferentes áreas. «Queremos proporcionar mais apoio aos eleitos socialistas e continuar a aproximar o PS de Famalicão dos eleitores», destaca.

Eduardo Oliveira deseja que o partido se abra mais à sociedade civil, consiga perceber os seus problemas, para traçar ações que no futuro ajudem a combatê-los. Desde já, destaca, entre outras áreas de intervenção do trabalho político, o combate à pobreza, ao desemprego e à exclusão social.

Mercadona doa 670 toneladas de alimentos no primeiro semestre deste ano

A Mercadona doou 670 toneladas de produtos de primeira necessidade no primeiro semestre de 2022 em Portugal. Estas doações, equivalente a mais de 11.000 carrinhos de compra, foram destinadas a mais de 30 cantinas sociais, 5 bancos de alimentos e outras entidades sociais com as quais a empresa colabora. No distrito de Braga, a Mercadona doou 118 toneladas de produtos de primeira necessidade a instituições locais de solidariedade social.

A Mercadona participa, ainda, noutras iniciativas de âmbito nacional que se realizam ao longo do ano. É o caso da “Campanha Vale”, da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, e da campanha “Shop for Goodness” da Cruz Vermelha Portuguesa, cujo montante angariado foi convertido em cartões de compra que contribuem para a autonomização de famílias carenciadas.

Com mais de 1.660 lojas entre Portugal e Espanha, a Mercadona doou 10.800 toneladas de bens na primeira metade deste ano, o equivalente a 180.200 carrinhos de compras, que se destinaram a mais de 410 cantinas sociais, 60 bancos de alimentos e outras entidades sociais de ambos países.

Estas ações resultam do compromisso da empresa em partilhar com a sociedade parte do que dela recebe. No âmbito deste Plano de Responsabilidade Social e a par da doação de alimentos, a Mercadona colabora com 32 fundações e centros ocupacionais na decoração das suas lojas com murais de trencadís (mosaicos típicos do Mediterrâneo), elaborados por mais de mil pessoas com incapacidade intelectual.

Outra linha estratégica deste Plano de Responsabilidade Social é a sustentabilidade, de que é prova o Sistema de Gestão Ambiental próprio, baseado nos princípios da economia circular e focado na otimização logística, eficiência energética, gestão de resíduos, produção sustentável e redução do plástico. Nesse sentido, a Mercadona, junto dos seus fornecedores Totaler, está a desenvolver a Estratégia 6.25: 6 ações para atingir um triplo objetivo até 2025: reduzir o plástico em 25%, que todas as embalagens sejam recicláveis, e reciclar todos os seus resíduos de plástico.

A Mercadona integra desde 2011 o Pacto Mundial das Nações Unidas para a defesa dos valores fundamentais em matéria de Direitos Humanos, Normas Laborais, Meio Ambiente e Luta contra a Corrupção.

Em Braga, as instituições beneficiárias são Associação de Solidariedade Social de S. Tiago de Fraião (Braga), GASC (Barcelos), Lar de Santo António (Guimarães), Dar as Mãos – Associação de Solidariedade Social (Braga), Lar de Santa Estefânia (Braga), Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Braga (Braga) e Lar Nossa Senhora da Misericórdia (Barcelos)

Paulo Cunha reeleito com 95% dos votos

Paulo Cunha foi reeleito, este sábado, presidente da Distrital de Braga do PSD, com 95,34. O famalicense entende que o resultado “transmite uma grande mobilização no projeto por nós apresentado”.

No total, votaram no distrito 1503 militantes, sendo que 1433 votos foram favoráveis à candidatura de Paulo Cunha. Numa eleição de lista única, “o número de votantes demonstra a vontade de dar o apoio ao projeto que temos para o distrito, fazendo com que, cada vez mais, Braga tenha o seu lugar preponderante no país”, disse o reeleito presidente.

Paulo Cunha garante que assumirá este segundo mandato “com dobrada vontade e empenho para que o PSD consiga alcançar os seus objetivos e continue a ser o verdadeiro partido de promoção do desenvolvimento da região”.

Município de Famalicão integra campanha nacional de promoção do uso dos transportes públicos

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes, I.P. lançou, esta quinta-feira, a campanha “O Futuro é Coletivo – Use os Transportes Públicos”, que tem como objetivo a promoção do uso do transporte público coletivo, através de uma divulgação alargada dos benefícios para o utilizador: + barato / melhor para o ambiente / + tempo para o que gosta / cómodo e seguro
A campanha, que tem como parceiros 50 entidades, entre as quais a CIM do Ave e o Município de Famalicão, passa em vários órgãos de comunicação social e múltiplas plataformas.

Com as crescentes alterações climáticas, o aumento do congestionamento, a degradação da qualidade do ar, o aumento da sinistralidade rodoviária e a crise energética, tornou evidente a necessidade de alterar o paradigma da mobilidade. O transporte público é uma área chave na política de mobilidade urbana sustentável, a par da racionalização do uso do transporte individual
e do estímulo aos modos ativos.
O Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes Públicos (PART), iniciado em 2019, levou a um aumento global de passageiros nos transportes públicos e teve um impacto significativo no financiamento do sistema de transportes, na poupança das famílias e na simplificação dos sistemas tarifários, atraindo, deste modo, novos passageiros para o transporte público.
Por outro lado, a recente crise sanitária condicionou a utilização do transporte público coletivo, tendo-se verificado uma diminuição da procura. Neste contexto, o IMT considera importante divulgar os benefícios do uso do transporte público coletivo e promover o regresso e atrair novos passageiros.

 

Paulo Cunha propõe programa para «um futuro melhor» no distrito de Braga

As eleições para a distrital do PSD são este sábado, dia 10 de setembro, e Paulo Cunha é recandidato à liderança desta estrutura partidária, tal como CIDADE HOJE avançou, em primeira mão, em julho passado. Na candidatura apresentada, o famalicense traça as linhas programáticas que assentam em três eixos: «conhecer o distrito, preparar as equipas e apresentar propostas».

Quanto ao primeiro ponto, a equipa quer embrenhar-se na realidade distrital para conhecer melhor os seus problemas. Para isso, promete percorrer o distrito e conversar com as pessoas.

O segundo eixo alicerça-se na mobilização de recursos humanos que atuem em conformidade com os problemas detetados. «Queremos que o palco da ação partidária seja ocupado por aquelas e aqueles que estejam melhor preparados, se sintam mais motivados e sejam mais vocacionados para o exercício da ação política nas suas múltiplas dimensões», assumem, em comunicado à imprensa.

Por fim, detetados os problemas e criadas as equipas, Paulo Cunha promete apresentar um programa de ação com várias dimensões. «As nossas propostas têm que assentar nos pressupostos do pragmatismo, da eficácia e da eficiência, mas devem corporizar o desejo de quem, como nós, ambiciona construir um futuro melhor», aponta. Desde já, menciona como áreas a ter especial cuidado a educação, a formação, o empreendedorismo e a empregabilidade; o setor social com especial ênfase para a inclusão e o fenómeno das migrações; os cuidados de saúde à população e a sustentabilidade, com especial incidência nas dimensões ambiental e democrática.

Paulo Cunha recorda que o PSD é o partido mais representativo no distrito, tendo em conta os mandatos recebidos, muito particularmente nos municípios e freguesias.

Lista aos órgãos distritais

Presidente, Paulo Cunha (Famalicão); vice-presidentes Carlos Cação (Vila verde) e Ricardo da Silva Araújo (Guimarães); secretário, Jorge Costa (Fafe) e o tesoureiro, Nuno Filipe Miranda (Barcelos).

Na Mesa da Assembleia Distrital, presidente, Ricardo Rio (Braga); vice-presidente, Manuel Tibo (Terras de Bouro); secretárias, Maria Gabriela Rodrigues (Póvoa de Lanhoso) e Laura Magalhães (Cabeceiras de Basto).

Conselho de jurisdição, presidente, César Teixeira (Guimarães).

Comissão Distrital de Auditoria Financeira, presidente, Otília Arminda Castro (Barcelos).

 

 

Famalicão: Eduardo Oliveira recandidata-se ao PS sob o lema “Todos Por Famalicão”

Sob o lema “Todos por Famalicão”, Eduardo Oliveira apresenta esta sexta-feira, dia 9 de setembro, a sua recandidatura à liderança da concelhia do PS, cujas eleições para os órgãos locais realizam-se no próximo dia 8 de outubro. A sessão está marcada para as 21 horas, na sede do PS, na Rua São João de Deus.

Tal como o Cidade Hoje avançou em primeira mão em julho, Eduardo Oliveira justifica a recandidatura com um trabalho de continuidade que diz ser necessário para chegar à liderança da Câmara Municipal. «O PS está hoje muito mais perto de reconquistar a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. Este trabalho não pode parar. Por isso sou candidato a um segundo mandato, tendo comigo o apoio de militantes socialistas de todas as freguesias», afirma, em comunicado.

Recorde-se que Eduardo Oliveira foi eleito presidente do PS a 1 de fevereiro de 2020. Em setembro de 2021 foi cabeça de lista do PS às eleições autárquicas e perdeu para o PSD/CDS (Mário Passos foi eleito); em março de 2022 foi eleito deputado à Assembleia da República, cargo que exerce juntamente com o de vereador na Câmara de Famalicão.

Apesar dos constrangimentos que diz ter sentido devido à covid 19, «que impediu o normal desenvolvimento do nosso trabalho político», Eduardo Oliveira sublinha que «temos hoje em Famalicão um PS mais forte e mais ativo, com mais conhecimento, mais experiência e maior representação política na Câmara Municipal, na Assembleia Municipal e nas Assembleias de Freguesia». Acrescenta que aumentaram o número de militantes, criaram grupos de trabalho em todas as freguesias, trouxeram dirigentes nacionais do PS a Vila Nova de Famalicão, apostaram na formação política dos seus autarcas e candidatos a autarcas «e investiram em obras de modernização que tornaram a sede do PS mais acolhedora e funcional».

Em nota à imprensa, Eduardo Oliveira diz que conta com o apoio de militantes socialistas de todas as freguesias. «São cidadãs e cidadãos preocupados com o futuro da nossa comunidade que não se resignam e dão o melhor de si à comunidade, para que todos os famalicenses e aqueles que escolhem Vila Nova de Famalicão para viver possam desenvolver aqui o seu projeto de vida», sublinha.