IPCA dá flexibilidade no pagamento das propinas

O IPCA decidiu suspender as prestações das propinas de março a junho de 2020, que habitualmente deveriam ficar regularizadas até junho. Podem ser pagas pelos estudantes até setembro sem pagamento de juros de mora.

Este Instituto Universitário quer evitar que os estudantes abandonem os cursos por falta de condições económicas, provocadas pelas condicionantes que advêm do covid-19.

A presidente do IPCA, Maria José Fernandes, considera «necessário aliviar a pressão financeira das famílias, neste momento mais crítico, para fazer face às suas obrigações num contexto de redução de rendimentos e abrandamento acelerado da economia».

Habitualmente, o valor da propina é pago em dez mensalidades, de setembro a junho de cada ano letivo.

Esta é uma das medidas do IPCA no combate ao covid-19; outras foram tomadas, nomeadamente a substituição das atividades letivas presenciais pelo ensino e avaliação a distância, e o funcionamento dos serviços em teletrabalho.