Hoti Hotéis investe 140 milhões em Portugal, alguns deles são para Hotel 4 estrelas em Famalicão

Num encontro com jornalistas, a Hoti Hotéis revelou que tem previsto um investimento de 140 milhões de euros em projetos para unidade hoteleiras até 2027.

O presidente do grupo, Miguel Proença, em declarações reproduzidas pelo jornal O Minho, referiu que o investimento vai traduzir-se na criação de 816, sendo que 120 deles são em Vila Nova de Famalicão, com a construção do Meliã à entrada da cidade.

Desenhado pelo gabinete de arquitetura Hugo Correia, a unidade hoteleira enquadra-se com os restantes 7 edifícios habitacionais da urbanização “Seven Arts”, adotando materiais comuns aos restantes, do ponto de vista de fachada mas utilizando predominantemente o vidro.

Com uma excelente exposição solar e vistas para o Parque da Devesa, os futuros hospedes vão, assim, usufruir das valências que o parque oferece, num ambiente da máxima proximidade com a natureza.

O Meliã Famalicão vai dispor de um ginásio, um spa, piscinas (interior e exterior), bar, restaurante e várias salas para reuniões, eventos e conferências.

O projeto aguarda por licenciamento, referiu o responsável da Hoti Hotéis.

Burla em Calendário: Casal volta a enganar e consegue convencer idosa a dar 300 euros por carne

Há mais uma idosa que foi engana pelo casal que tem andado pelo concelho de Famalicão a vender carne.

Esta quinta-feira, a vítima foi uma moradora da Aldeia do Sol, em Calendário.

Ao que nos foi possível apurar, o casal começou a conversa dizendo que conhecia bem os vizinhos, chegando mesmo a dizer alguns dos nomes que, provavelmente, foram ver às caixas de correio. Depois de captada a confiança da vítima, disseram-lhe que tinham para venda uma carne de muito boa qualidade, habitualmente comprada pelos moradores daquela zona.

A senhora, convencida de que estava perante um bom negócio, acabou por cair no golpe e pagou 300 euros por carne de vaca que vale muito menos.

Já a semana passada, um casal de burlões usou a mesma estratégia e conseguiu convencer uma outra idosa a dar 200 euros por pedaços de carne.

Famalicão: Gabriel Couto ganha obras no valor de 145 milhões de euros no Gana

A construtora famalicense Gabriel Couto venceu um concurso internacional relativo a dois contratos no Gana pelo valor de 145 milhões de euros. Está em causa a melhoria da rede viária daquele país.

Uma das empreitadas, com 66 quilómetros de extensão, é relativa à estrada que liga Tarkwa a Nkwanta, passando por Agona. É a obra de maiores dimensões que terá de ser entregue no prazo máximo de três anos. Esta empreitada, orçada em 95 milhões de euros, é vital para o desenvolvimento destas três cidades, bem como para a dinamização económica do país, especialmente no que respeita à exportação de minérios.

Em simultâneo, a Gabriel Couto vai reconstruir também a estrada que liga Bechem a Akumadan, numa distância de 40 quilómetros, que deverá estar concluída em 730 dias. Este investimento de 50 milhões nesta infraestrutura é também muito relevante no desenvolvimento económico da região, marcada predominantemente pela produção agrícola. Localizada na zona central do Gana, esta área é muito rica em produção de tomate e outros produtos agrícolas que necessitam de ser escoados para zonas mais carenciadas do país.

Para a Gabriel Couto, é mais um concurso internacional que ganhou numa área do Globo onde as necessidades são muitas, mas também é muito forte a presença das grandes construtoras mundiais. «O cumprimento rigoroso de todas as alíneas dos contratos assinados e a qualidade evidenciada das obras é também uma imagem da nossa marca que vamos espalhando pelo continente africano», sustenta Tiago Couto, diretor da construtora e responsável pelos projetos internacionais e de infraestruturas.

Recorde-se que a Gabriel Couto está na Zâmbia e Moçambique, países da África Oriental, tendo concluído nos últimos anos várias empreitadas em Essuatíni, ex-Suazilândia, na África Austral. Assim, a empresa de VN Famalicão regressa à África Ocidental, depois do êxito conseguido na reconstrução de estradas no Senegal, reconstruindo agora estradas fundamentais para o desenvolvimento do Gana.

A nível interno, a Gabriel Couto entregou neste final de ano à ANA a extensão do taxiway do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. Foram 30 milhões de euros de trabalhos contratados. Com a expansão de 1300 metros à via de circulação que liga a pista e a placa de estacionamento dos aviões, será possível uma maior sequência de descolagens e aterragens, acompanhadas com uma saída rápida da pista. Segundo Thierry Ligonnière, CEO da Ana – Aeroportos de Portugal, “vai incrementar substancialmente a eficiência e a capacidade do aeroporto do Porto.

 

 

Regras para o voto de infetados / isolados: Não podem usar máscara social, só cirúrgica ou FP2

Foram revelados, esta quinta-feira, mais detalhes sobre como irá decorrer o processo de voto nas eleições legislativas do próximo dia 30.

Conforme anunciado a meio desta semana, pessoas em isolamento vão poder sair de casas só para exercer o seu direito de voto.

De acordo com as normas tornadas públicas pelo governo, essas pessoas devem deslocar-se para os locais de voto a pé ou em veículo próprio. Não poderão utilizar máscaras sociais, sendo obrigatório o uso de máscaras cirúrgicas ou modelo FP2.

Médicos querem horários e locais só para eleitores isolados/infetados pela Covid-19

Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública sublinha o “precedente evitável” da quebra do isolamento e diz que esta situação vai “condicionar novas dificuldades ao exercício profissional dos médicos de saúde pública”

Os médicos de saúde pública recomendam horários e locais próprios de votação nas legislativas para quem está em isolamento, para evitar cruzamento de pessoas, e sugerem escusa de responsabilidade civil até final de fevereiro.

Num comunicado divulgado depois de o Governo ter anunciado que as pessoas isoladas por causa da covid-19 vão poder ir votar presencialmente nas eleições legislativas de dia 30, a Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública (ANMSP) sublinha o “precedente evitável” da quebra do isolamento e diz que esta situação vai “condicionar novas dificuldades ao exercício profissional dos médicos de saúde pública”.

Banco CTT acaba com contas sem comissões, cliente passa a pagar de três em três meses

O Banco CTT anunciou que vai acabar com as contas sem comissões.

Quando abriu portas, as contas sem custos para o cliente foi uma das “bandeiras” utilizadas pela instituição que, agora, decidiu mudar de estratégia.

Assim sendo, e de acordo com o jornal ECO, as contas do Banco CTT passam a ter uma comissão anual de 20 euros, cobrados em parcelas de 5 euros de três em três meses.

As alterações entram em vigor no mês de abril.

Famalicão mantém-se como município mais exportador do Norte e terceiro no país

A última edição do Anuário Estatístico da Região Norte, editado no final do ano, mostra que o município de Famalicão manteve, em 2020, como o mais exportador a norte e o terceiro no país, logo a seguir a Lisboa e Palmela.

O concelho tem, ainda, um saldo positivo da balança comercial de 765 milhões de euros (m€), resultado de uma diferença entre as exportações (1.746.464 m€) e as importações (981.278 m€). É, desta forma, um dos municípios que mais contributo líquido dá para a economia nacional.

«Apesar da tendência de queda da economia devido à pandemia, Vila Nova de Famalicão conseguiu manter-se como um dos municípios que mais contribui para a economia nacional. Somos um território que produz, que trabalha, que não baixa os braços», refere, a propósito, o presidente da Câmara Municipal, Mário Passos.

Para o futuro, o autarca mantém o otimismo e acredita que «com a capacidade de resiliência e empreendedorismo dos famalicenses vamos conseguir ultrapassar as adversidades provocadas por esta pandemia e continuar no rumo da inovação e do pioneirismo industrial do país».

No que diz respeito ao peso dos vários setores nas exportações do município, o têxtil e vestuário continuam a representar a maior fatia das exportações, seguindo-se o setor automóvel, metalomecânica e, por fim, o agroalimentar.

Entretanto, de acordo com os dados mensais preliminares do Instituto Nacional de Estatística (INE), as exportações das empresas famalicenses acumularam até novembro de 2021 um crescimento de 23,86% face ao mesmo período de 2020 e de 4,12% face a 2019, o que vem trazer um novo alento ao tecido empresarial. A nível nacional e no que diz respeito ao setor têxtil e vestuário, as exportações acumularam até outubro um crescimento de 15,2% face ao mesmo período de 2020 e de 1,5% face a 2019.

Refira-se que aquela que é a principal economia do Norte de Portugal tem nas suas fileiras perto de 15 000 empresas, que representam um volume de negócios na ordem dos cinco mil milhões de euros. Destas, perto de duas mil sociedades são da indústria transformadora que dão um contributo líquido importante para as contas nacionais e para a empregabilidade do país.