O Supremo Tribunal administrativo condenou a Centro Hospitalar do Médio Ave, com unidades instaladas nos concelhos de Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso, a pagar uma indemnização de 295 mil euros aos pais de uma criança que viveu apenas 9 anos, fruto de lesões que sofreu no parto feito em Famalicão.

De acordo com o Correio da Manhã, o caso remonta a 1998, a bebé nasceu a 4 de Novembro de parto normal, com recurso a fórceps, em asfixia perinatal e teve que ser reanimada. Devido às complicações do parto a criança nunca ouviu, falou ou andou, e era alimentada por sondas.

A mãe sofreu hemorragias e esteve internada no Hospital S. João, no Porto, onde foi submetida a várias cirurgias.

O Supremo Tribunal Administrativo considerou que o parto foi negligente porque os médicos deviam ter optado por cesariana.

Em 2009, o tribunal de 1.ª instância tinha condenado o Hospital a pagar 148 mil euros. Nessa altura o Hospital de Famalicão negou culpa e considerou a indemnização exorbitante. Agora, o Supremo Tribunal Administrativo manteve as acusações e aumentou para o dobro a indemnização à família.

 

Previous post

Enviar correio está mais caro

Next post

Gondifelos faz história onde Joane e Ninense já garantiram presença nas meias-finais

Cidade Hoje