Hackers não terão tido acesso a dados dos utilizadores do Portal das Matrículas

O Centro Nacional de Cibersegurança, CNCS, confirmou, ao SAPO TEK, que o ataque informático que afetou o Portal das Matrículas decorreu entre as 20 e as 23 horas do dia 6 de julho.

O CNCS confirma que o Portal das Matrículas foi alvo de um ataque do tipo Negação de Serviço Distribuída (DDoS), que é feito através do envio massivo de pedidos de acesso aos servidores, “entupindo” o sistema e impedindo que os legítimos utilizadores pudessem utilizar o site.

O centro, que é responsável pela coordenação operacional e é a autoridade nacional especialista em matéria de cibersegurança junto das entidades do Estado, refere que “durante o ataque foram identificados vários momentos com picos de cerca de 1Gbps, que consequentemente tornaram o serviço indisponível”.

Para já, não há conhecimento nem suspeita de que possa ter sido comprometida a integridade ou confidencialidade dos sistemas informáticos do Portal das Matrículas, o que quer dizer que os hackers não terão tido acesso a dados dos utilizadores, das matrículas ou das escolas que tiverem sido registadas no sistema. No entanto, a investigação vai continuar, também para identificar a origem dos ataques.

Na sequência dos problemas, o Governo decidiu avançar com a renovação automática das matrículas para os 2.º, 3.º, 4.º, 6.º, 8.º, 9.º, 11.º e 12.º anos. A exceção é a transferência de estabelecimento de ensino, e as inscrições no 5º, 7º e 10º anos, que marcam mudanças de ciclo, que continuam a ser feitas no portal. As escolas têm, também, indicação para receber as matriculas dos alunos.