Há famalicenses envolvidos na Operação Éter

Segundo avança, esta manhã, o jornal digital “O Minho”, dos 29 arguidos no âmbito do processo Éter, há dois de Vila Nova de Famalicão: Regocib, Construções e Imobiliário, Lda. e Augusto Rego, construtor civil. Estão acusados, respetivamente, de um crime de falsificação de documentos.

O despacho de acusação da 12.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto relativo ao processo Ėter imputa 150 crimes a 29 arguidos (21 singulares e oito coletivos), sendo o mais visado o ex-presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), Melchior Moreira, o único arguido que foi preso preventivamente, com 38 crimes.

A matéria constante deste processo reporta-se a cinco linhas de investigação sobre o TPNP, estando em causa, por exemplo, os procedimentos de contratação de pessoal e de aquisição de bens, a utilização de meios da entidade para fins pessoais e o apoio prestado a clubes de futebol. Estão ainda em causa o recebimento indevido de ajudas de custo e o recebimento de ofertas provenientes de operadores económicos.

Em inquéritos que o DIAP do Porto decidiu autonomizar, está, entretanto, a decorrer a investigação de outras vertentes da Operação Éter, nomeadamente a instalação de Lojas Interativas da Turismo do Porto e Norte de Portugal, envolvendo autarcas do Norte e Centro.

Most Popular Topics

Editor Picks