Há 81,3 novos casos de covid por cem mil habitantes

Na reunião do Infarmed, onde estiveram políticos e especialistas para discutir a situação epidemiológica em Portugal, saíram algumas conclusões.

A população ativa passou a ser o grupo onde se verificam agora mais novos casos, em vez do grupo da população com mais de 80 anos. Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a região com maior incidência e a região onde a variante britânica é mais predominante.

Esta segunda-feira, registou-se uma incidência de 81,3 de novos casos de infeção com SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes e um índice de transmissibilidade (Rt) de 0,89.

Segundo os dados apresentados, foram feitos 82.425 testes em escolas e registados 81 casos positivos. Já nas prisões realizaram-se 14.702 testes, dos quais 1.019 se revelaram positivos (6,9%). Quanto à presidência do Conselho de Ministros, apenas 25 dos 1.797 testes tiveram um resultado positivo (1,4%).

Finalmente, nos lares de idosos foram realizados 150.163 testes, com 2.627 a darem um resultado positivo (1,8%), enquanto na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) fizeram-se 58.609 testes e 2.652 (4,5%) confirmaram um diagnóstico positivo para a infeção pelo vírus SARS-CoV-2.

Apesar da tendência de descida de novas infeções, o comportamento dos portugueses em relação às medidas de combate à covid-19 piorou no último mês, sobretudo nos mais jovens, duplicando a percentagem dos que reconheceram ter estado com grupos de 10 ou mais pessoas fora do agregado familiar.