Governo impede descida nos preços dos medicamentos que custam até 15 euros

Os medicamentos cujo preço de venda ao público seja até 15 euros não vão baixar de preço no próximo ano, segundo uma portaria, que limita a 5% as reduções dos preços dos fármacos que custem entre 15 e 30 euros.

A portaria, assinada pelo secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, e publicada na semana passada, cria também um critério excecional que estabelece um mecanismo travão para impedir que os medicamentos cujo preço de venda ao público seja superior a 30 euros baixem mais do que 10% relativamente ao preço máximo de venda ao público.

Todos os anos, ao abrigo da portaria 195-C/2015, é feita uma revisão dos preços dos medicamentos, com base nos valores praticados em países de referência.

O objetivo desta revisão é reduzir os custos para os sistemas de saúde, mas, por vezes, as descidas fazem com que a indústria perca o interesse no produto e deixe de o produzir, o que provoca falhas no abastecimento e prejudica os utentes.

Foi precisamente para não permitir descidas abruptas nos preços de venda ao público dos medicamentos que foi criado, em 2017, este mecanismo travão.

“Tendo em conta a situação atual, observando-se, a par dos impactos da pandemia causada pela doença covid-19, um marcado crescimento da despesa com medicamentos, importa introduzir soluções que procurem garantir, por um lado, a melhor disponibilidade de medicamentos e a mitigação de ruturas e, por outro, a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde”, refere a portaria.

No mesmo diploma, o Governo decide manter a lista de países que serve de referência para a revisão dos preços de medicamentos -Espanha, França, Itália e Eslovénia.

O documento volta a suspender parcialmente a revisão dos preços dos genéricos por causa da pandemia, definindo que, “por questões de equidade”, a suspensão da revisão dos preços não se aplica àqueles cujo preço máximo é superior ao valor máximo do medicamento de referência.

Burla em Calendário: Casal volta a enganar e consegue convencer idosa a dar 300 euros por carne

Há mais uma idosa que foi engana pelo casal que tem andado pelo concelho de Famalicão a vender carne.

Esta quinta-feira, a vítima foi uma moradora da Aldeia do Sol, em Calendário.

Ao que nos foi possível apurar, o casal começou a conversa dizendo que conhecia bem os vizinhos, chegando mesmo a dizer alguns dos nomes que, provavelmente, foram ver às caixas de correio. Depois de captada a confiança da vítima, disseram-lhe que tinham para venda uma carne de muito boa qualidade, habitualmente comprada pelos moradores daquela zona.

A senhora, convencida de que estava perante um bom negócio, acabou por cair no golpe e pagou 300 euros por carne de vaca que vale muito menos.

Já a semana passada, um casal de burlões usou a mesma estratégia e conseguiu convencer uma outra idosa a dar 200 euros por pedaços de carne.

Regras para o voto de infetados / isolados: Não podem usar máscara social, só cirúrgica ou FP2

Foram revelados, esta quinta-feira, mais detalhes sobre como irá decorrer o processo de voto nas eleições legislativas do próximo dia 30.

Conforme anunciado a meio desta semana, pessoas em isolamento vão poder sair de casas só para exercer o seu direito de voto.

De acordo com as normas tornadas públicas pelo governo, essas pessoas devem deslocar-se para os locais de voto a pé ou em veículo próprio. Não poderão utilizar máscaras sociais, sendo obrigatório o uso de máscaras cirúrgicas ou modelo FP2.

Médicos querem horários e locais só para eleitores isolados/infetados pela Covid-19

Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública sublinha o “precedente evitável” da quebra do isolamento e diz que esta situação vai “condicionar novas dificuldades ao exercício profissional dos médicos de saúde pública”

Os médicos de saúde pública recomendam horários e locais próprios de votação nas legislativas para quem está em isolamento, para evitar cruzamento de pessoas, e sugerem escusa de responsabilidade civil até final de fevereiro.

Num comunicado divulgado depois de o Governo ter anunciado que as pessoas isoladas por causa da covid-19 vão poder ir votar presencialmente nas eleições legislativas de dia 30, a Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública (ANMSP) sublinha o “precedente evitável” da quebra do isolamento e diz que esta situação vai “condicionar novas dificuldades ao exercício profissional dos médicos de saúde pública”.

Banco CTT acaba com contas sem comissões, cliente passa a pagar de três em três meses

O Banco CTT anunciou que vai acabar com as contas sem comissões.

Quando abriu portas, as contas sem custos para o cliente foi uma das “bandeiras” utilizadas pela instituição que, agora, decidiu mudar de estratégia.

Assim sendo, e de acordo com o jornal ECO, as contas do Banco CTT passam a ter uma comissão anual de 20 euros, cobrados em parcelas de 5 euros de três em três meses.

As alterações entram em vigor no mês de abril.

Governo vai fazer recomendação para que isolados vão votar ao final do dia

Já é oficial, as pessoas que estiverem em isolamento, no dia das eleições legislativas, vão poder sair de casa para ir votar.

A informação foi tornada pública ao início da tarde desta quarta-feira, em conferência de imprensa com a ministra Francisca Van Dunem.

A CNN Portugal avança que o governo deverá fazer uma recomendação para que essas pessoas se desloquem aos locais de voto ao final do dia, de forma a que haja o menor contacto possível com não isolados. O horário apontado para esse momento de voto deverá ser entre as 18h e as 19h.

Seguidor CIDADE HOJE encontra jovem desaparecido há mais de 48 horas

Já foi localizado e levado para casa o jovem que, desde domingo, estava desaparecido em Guardizela, Guimarães.

A descoberta foi feita por um seguidor Cidade Hoje que, ao estranhar a presença do jovem a vaguear pela N106, em Lousada, decidiu abordá-lo e perceber se era o mesmo do apelo difundido por esta página horas antes.

De imediato, cerca das 00h10 e depois de dar conta da situação às autoridades, o homem entrou em contacto com a nossa redação que rapidamente alertou a família e agilizou a passagem de toda a informação para que se desse o reencontro.

O jovem, desorientado e com um discurso confuso, terá percorrido mais de 20 km’s a pé nas últimas horas uma vez que no dia anterior tinha sido avistado em Riba d’Ave.