Concelho

Funcionários obrigados a fechar ginásio em Famalicão porque não sabem dos patrões

A loja de Vila Nova de Famalicão da rede de ginásios Extra Fit, localizada na Avenida Engenheiro Pinheiro Braga, ao lado da Farmácia de Gavião, fechou portas esta quarta feira depois dos responsáveis pela empresa terem, de acordo com os funcionários, desaparecido.

Lázaro Carvalho, empresário no ramo da hotelaria e restauração, é um dos responsáveis da cadeia de três ginásios “Xtra Fit” está incontactável e em parte incerta. (Imagem: RTP)

Os trabalhadores dizem que era habitual o casal de patrões não estar sempre contactável e que nunca estranharam a situação.
Contudo, desta vez, o silêncio teve outros contornos: os salários deixaram de ser pagos, a mensalidade do aluguer da loja também deixou de ser liquidada e até o programa informático, que permite a faturação das vendas, deixou de funcionar.
Por este acumular de situações o funcionamento da loja deixou de ser viável e os funcionários, que continuam sem conseguir comunicar com os responsáveis, decidiram fechar portas até que tudo fique clarificado.
Alguns clientes também acabaram por sair lesados e acusam o ginásio de burla.
Ao que a Cidade Hoje conseguiu apurar, uma boa parte dos frequentadores daquele espaço foram aliciados a pagarem em adiantado as mensalidades do serviço com a garantia de que iriam ter acesso a meses de utilização dos serviços gratuita.

No facebook da empresa funcionários e clientes criticam a atitude da gerência.

A Cidade Hoje tem tentado entrar em contacto com os responsáveis pela empresa, mas tal não foi possível.
Entretanto, as outras lojas desta cadeia, localizadas em Braga e Viseu, estão abertas mas com os serviços reduzidos. Pessoas próximas da empresa garantiram que funcionários e serviços contratados (exemplo: telefone, água) não estão a ser pagos.
Previous post

Daniela Pereira vence 2ª prova do Campeonato Regional do Minho de XCO

Next post

Doze mil produtos pirotécnicos apreendidos em operação da PSP

Cidade Hoje