Festival do Vinho do Vade reforça impacto económico e social

Festival do Vinho do Vade reforça impacto económico e social

O Festival do Vinho do Vade, no concelho de Vila Verde, vai contar este ano com um programa alargado de animação e valorização de produtos locais.

Cerca de duas dezenas de produtores de vinho vão participar no evento, que a União de Freguesias do Vade organiza no próximo fim de semana, de 3 e 4 de março.

Sopas de burro cansado’ e papas de milho fazem parte da ementa gastronómica, juntamente com os tradicionais petiscos. Rusgas, folclore e cantares regionais vão marcar a animação do Festival, que mobiliza os movimentos associativos da terra e gentes de todas as idades.

O vinho do Vade diferencia-se pelas suas características únicas, com textura e sabor moldados pelas expressivas encostas solarengas desta região, situada nos limites dos concelhos de Vila Verde e Ponte da Barca. Graças também à qualidade das vinhas e ao saber das tradições agrícolas específicas desta região, o Vinho do Vade distingue-se ainda por atingir níveis mais elevados de volume de álcool, comparativamente com o que normalmente acontece com os vinhos verdes.

A União de Freguesias do Vade assume o vinho destas terras como “um produto-âncora para a valorização e dinamização da economia local”, num processo que reforça a mobilização da comunidade, desde os mais novos aos mais idosos, em torno das tradições e marcas de identidade deste território, que congrega as freguesias de Atães, Codeceda, Covas, Penascais e Valões.

“O Festival do Vinho do Vade é uma aposta para ajudar à dinamização económica e também social deste território. Através das marcas da nossa identidade muito própria, das nossas raízes e das nossas tradições, queremos valorizar e rentabilizar as potencialidades e aquilo que temos de melhor nas nossas terras», afirma o autarca Carlos Cação.

O presidente da Junta da União de Freguesias do Vade reconhece “as muitas dificuldades de um território de baixa densidade populacional, deslocado dos grandes centros urbanos e de acessibilidades difíceis”, mas salienta que, “em contrapartida, existem marcas muito próprias e insubstituíveis que nos distinguem e diferenciam como um espaço de qualidade, de gente que sabe fazer e com produtos únicos”.

Sobre o Festival do Vinho do Vade, que arranca já no próximo sábado, no Pavilhão Multiusos, Carlos Cação anuncia «um evento de grande festa, aberto, com muita animação e capaz de mobilizar a comunidade em torno do melhor que temos e fazemos nas nossas freguesias».

Cerca de duas dezenas de produtores locais vão estar no certame com pipos de vinho para provas, num ambiente de grande animação popular. No sábado, dia 3, vão marcar presença Rusgas de Arcos de Valdevez, Ponte da Barca e Vila Verde. A noite vai ainda incluir animação alternativa com DJ para as gerações mais novas. No domingo, o folclore e os cantares regionais vão marcar a animação.

No Festival haverá ainda mirtilos, cogumelos e outros produtos locais. “Sopas de burro cansado” e papas de milho fazem parte da ementa mais típica que será servida pelo Centro Social de Covas, ao lado das tasquinhas e espaços de petiscos a cargo de associações e comissões de festas do Vade. Os bares serão geridos por grupos de jovens. Crianças do pré-escolar e primeiro ciclo terão à venda artesanato e outros objectos para angariação de receitas a favor de atividades escolares.

 

Most Popular Topics

Editor Picks