Famalicense Nuno Melo admite entrar na corrida à liderança do CDS/PP

Nuno Melo, numa entrevista conjunta ao Público e Rádio Renascença, analisou a atual situação do CDS tendo admitido a sua candidatura à liderança do partido no próximo ano.

«Se o CDS cumprir o seu ciclo e o congresso acontecer em 2022, acho que ninguém se deve excluir dessa discussão. Eu próprio não excluo, se o congresso for em 2022, aí ser candidato, se nada se alterar».

O presidente da Assembleia Municipal de VN Famalicão referiu que Adolfo Mesquita Nunes, antigo vice-presidente do partido, «tem toda a legitimidade para pedir um congresso antecipado», mas apenas admite estar na corrida à liderança se este apenas se realizar na data prevista, em 2022.

Quanto ao atual líder Francisco Rodrigues dos Santos, o eurodeputado do CDS refere que é «bem intencionado, tem boas ideias, mas não tem conseguido vencer a batalha da comunicação».

Recorde-se que Adolfo Mesquita Nunes, num artigo de opinião publicado no Observador, alertou que «o CDS tem um problema de sobrevivência» e não tem «muito tempo para resolvê-lo». Neste sentido, o famalicense Nuno Melo admite poder concordar com a antecipação do congresso.