Famalicão: Salvador Malheiro apresentou aos militantes as ideias e políticas de Rui Rio

A candidatura famalicense de apoio a Rui Rio, que se apresentará a sufrágio no próximo sábado como lista R, e liderada pelo mandatário de
campanha João Pedro Araújo, recebeu na noite desta quarta-feira o vice-presidente do PSD e mandatário nacional de Rui Rio, Salvador Malheiro.

Na sessão de esclarecimento aos militantes, que decorreu na sede concelhia do PSD, esteve também Mário Constantino, mandatário distrital e presidente da Câmara Municipal de Barcelos. Durante o encontro, os militantes ouviram as ideias e as políticas defendidas por Rui Rio para o desenvolvimento político, económico e social de Portugal que se encontra, segundo várias intervenções, «num perfeito marasmo, proliferando o facilitismo, os compadrios e as cedências gratuitas e irracionais aos demais partidos da geringonça, que em nada têm contribuído para um país com equidade social, desenvolvimento económico e de políticas robustas e assertivas».

Salvador Malheiro evidenciou os predicados de Rui Rio, considerando que é, «inequivocamente, quem melhor está preparado para ser primeiro ministro, tal como ficará demonstrado no programa de governo que vai apresentar aos portugueses». O dirigente mostrou-se também confiante na escolha que a estrutura nacional fez em João Pedro Araújo para mandatário concelhio e deu nota da sua convicção num bom resultado de Rio em Famalicão.

Perante a sala lotada, João Pedro Araújo considerou que ficou claro para todos «a linha de atuação a ser seguida por Rui Rio, com ideias impactantes, até disruptivas e, acima de tudo, com um sentido perfeitamente definido para o País».

Com uma lista composta por elementos «bastantes experientes e ativos na vida política famalicense», João Pedro conseguiu, também, que vários militantes com um passado de relevo no partido regressassem, «conseguindo desta forma envolver as bases e mesmo a sociedade civil naquele que é o maior propósito: eleger Rui Rio para primeiro-ministro de Portugal. O País, tal como PSD, precisa de gente capaz, séria, empreendedora e com elevados níveis de altruísmo. Só assim as coisas ficam na sua ordem natural: colocar sempre Portugal primeiro», realça a direção de campanha em nota enviada à redação.