Famalicão: Riopele investe em máquinas mais amigas do ambiente

A histórica empresa da Riopele investiu em 2019 e continua a modernizar-se em 2020. José Alexandre Oliveira, citado pelo Jornal T, acredita que a empresa vai sair mais forte desta crise. No entanto, antevê que a retoma da economia só se sinta em 2022.

Em 2020, a empresa, com 94 anos, manteve o plano de aquisição de máquinas automatizadas e mais amigas do ambiente. Depois dos 25 milhões investidos em 2019, no ano passado aplicou mais 5 milhões em nova maquinaria.

«Fruto deste investimento quando a pandemia passar e o consumo começar a disparar, a Riopele está extremamente bem preparada. Podemos sair mais fortes desta crise», assegurou o presidente da empresa, José Alexandre Oliveira, citado pelo Jornal-T.

Segundo o empresário famalicense, além dos avanços na automatização da produção, as novas máquinas permitem reduzir substancialmente os consumos de água e de energia.

Apesar de acreditar que o têxtil é uma indústria do futuro, o presidente da empresa de Pousada de Saramagos não se mostra confiante numa retoma a curto prazo. A sua perspetiva é mesmo de que este será um ano mais difícil e com um impacto maior para o sector que as dificuldades vividas em 2020, e que a retoma será lenta e só deverá acontecer a partir de 2022.