Famalicão: Projeto de inclusão de pessoas com incapacidades é um sucesso na ITA

A Indústria Têxtil do Ave (Continental-ITA) tem em curso o projeto Continclusiva para inclusão de pessoas com incapacidades. A iniciativa, que deu os primeiros passos em 2018, tem-se revelado uma agradável surpresa para os responsáveis da empresa.

Com o apoio do Instituto de Emprego e de Formação Profissional e da ACIP – Ave Cooperativa Intervenção Psico-Social C.R.L., a empresa de Lousado acolheu quatro estagiários com incapacidade e dois já integram os quadros da empresa «e com um índice de produtividade igual a todas as outras», referiu o administrador Eduardo Dinis.

A Liliana, surda-muda numa situação de desemprego de longa duração, há dois anos que é um quadro da ITA, trabalhando na tecelagem. O Vítor, um transplantado renal na mesma situação de desemprego, trabalha agora no departamento de operações e logística. «A empresa ganhou mais do que aquilo que eles ganharam. Ganhámos dois quadros perfeitamente válidos. Precisamos que as pessoas trabalhem nas empresas e não faz sentido estarmos a separar partes da sociedade», defendeu Eduardo Dinis durante a visita do presidente da Câmara, Paulo Cunha, no âmbito do Roteiro pela Inovação.

Esta iniciativa da Continental-ITA é para continuar em 2021/22, sendo propósito alargar os estágios a áreas administrativas, para além do chão de fábrica, «removendo obstáculos a quem vive rodeados deles», sinalizou Eduardo Dinis.

Paulo Cunha elogiou este «bom exemplo de integração. Vimos duas pessoas integradas em equipas de chão de fábrica, num plano de igualdade com os seus colegas de trabalho. Produzem e sentem-se naturalmente realizados pela utilidade que lhes é reconhecida». O autarca quer ver este exemplo seguido e recordou que a Câmara Municipal emprega cerca de quatro dezenas de pessoas nessa situação. «Estão perfeitamente integradas, sendo recursos humanos da autarquia tão válidos quanto os outros».