Famalicão: Paulo Cunha sublinhou a importância das políticas locais na prevenção e combate à criminalidade

O presidente da Câmara Municipal participou, no dia 11 de março, no 14.º Congresso das Nações Unidas para a Prevenção do Crime e a Justiça Penal. A iniciativa, que decorreu entre 6 e 12 de março, em Quioto, no Japão, teve como lema “Fazer avançar a prevenção da criminalidade, a justiça penal e o Estado de direito: para a realização da Agenda 2030”.

Paulo Cunha, na sua intervenção que decorreu via online, anotou a importância das políticas locais na prevenção e combate à criminalidade e na promoção da integração social. O autarca anuiu que, «tradicionalmente, esta é uma área entregue às instituições internacionais e aos governos nacionais», mas deu conta de outros níveis de governação, como é o caso dos municípios, «que podem fazer muito por este tema». Paulo Cunha fala numa espécie de «glocalização», onde as ações locais são, do seu ponto de vista, «essenciais para a obtenção de resultados globais».

Paulo Cunha apontou, ainda, alguns exemplos do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Município «e que contribui para a prevenção e combate à criminalidade», destacando a criação de um plano educativo forte e inclusivo; a promoção e criação de uma agenda multicultural local; a perceção da prática desportiva enquanto “receita social”; a implementação de uma estratégia local de desenvolvimento integrado e a criação de um novo modelo de governança «onde cada cidadão tem um papel importante a desempenhar no desenvolvimento da comunidade».

De resto, acrescentou Paulo Cunha, «só vamos prevenir o crime se estivermos a erradicar a fome, a acabar com a pobreza, se tivermos educação para todos, se reduzirmos as desigualdades e se não deixarmos ninguém ficar para trás».