Famalicão: Pandemia obriga hospital a internar homens e mulheres na mesma enfermaria

O PAN – Partido Pessoas Animais e Natureza denunciou a situação do internamento de uma doente do sexo feminino numa enfermaria com dois doentes do sexo masculino. «A situação foi agravada pelo facto de, alegadamente, a paciente ter sido gravemente perturbada por um outro paciente, motivando uma situação grave de stress e ansiedade», diz o PAN, em seguimento da denúncia que lhe foi transmitida por familiares da utente.

Em declarações ao Cidade Hoje, o presidente do conselho de administração do CHMA, António Barbosa, confirma o internamento de uma senhora numa enfermaria onde estavam doentes do sexo masculino; explica que tal se deveu a falta de espaço devido ao covid-19 e adianta que este tipo de internamento “misto” ocorreu já por diversas ocasiões, e pelos mesmos motivos.

No entanto, António Barbosa garante que em todas as situações foi garantida a privacidade dos doentes, «porque há formas de o fazer», assim como toda a assistência médica; Lembra, também, que outros hospitais do país são obrigados à mesma prática, que, não sendo ideal, se deve aos tempos difíceis, decorrentes da pandemia.

O presidente do conselho de administração recorda que o CHMA já teve mais de cem pessoas internadas com covid-19, o que obrigou à reorganização de vários espaços para poder responder ao elevado número de internamentos.

Esta quarta-feira, dia 17, estavam 23 internados no CHMA, que ocupam toda a ala que era destinada a medicina homens. António Barbosa espera que este sentido decrescente de internamentos se mantenha, para que o Hospital possa retomar a sua normalidade.