Famalicão: Nova entrada para o Centro de Estudos Camilianos pronta em maio

O Centro de Estudos Camilianos de Seide, projetado pelo arquiteto Siza Vieira, vai passar a ter, a partir de maio, uma entrada mais ampla, por entre jardins mesmo diante da Casa do Nuno, a residência do filho de Camilo Castelo Branco.

A criação da nova entrada coloca um ponto final no projeto de Siza Vieira que, para além da construção do Centro de Estudos, envolveu uma intervenção global de valorização do espaço camiliano, com o arranjo urbanístico do Largo de Camilo, construção do Centro Social e Paroquial, requalificação da igreja paroquial e adaptação da Casa do Nuno a sede da Junta de Freguesia.

A obra agora em curso, num investimento municipal que ascende a 31 mil euros, arrancou em fevereiro passado, tem um prazo de execução de 90 dias e engloba a construção de caminhos pedonais em cubo granito azul, de muros de vedação em alvenaria de pedra e a preparação de uma zona ajardinada.

Trata-se, nas palavras de Paulo Cunha, «do culminar de uma vontade persistente da Câmara Municipal de Famalicão em cumprir o projeto de Siza Vieira, que contemplava para aquele espaço a entrada principal do Centro de Estudos Camilianos». O presidente da Câmara Municipal refere, ainda, que depois de criadas as novas instalações para a Associação Desportiva e Recreativa de Seide S. Miguel (ADERE), a proprietária do terreno contíguo ao Centro de Estudos Camilianos, onde está a ser construída a nova entrada, a autarquia reuniu as condições necessárias para concluir o projeto de Siza Vieira.

O Centro de Estudos Camilianos foi inaugurado em 2005 com as presenças da ministra da Cultura de então, Isabel Pires de Lima, a escritora Agustina Bessa-Luís e Siza Vieira. Desde essa altura que a entrada para o equipamento cultural era provisória porque o espaço proposto para a entrada principal estava ocupado pela Adere que Paulo Cunha elogia por deixar de lado «as questões que são periféricas e colocar no centro questões que são essenciais».

Para além desta obra para a valorização da memória camiliana, decorrem em Seide os trabalhos de renovação e restauro da Quinta e da Casa dos Caseiros, segundo a traça original do edifício. A intervenção insere-se -se na candidatura «Rota Camilo: Valorização da Casa-Museu e Cemitério da Lapa», aprovada no âmbito do programa operacional Norte 2020, sendo cofinanciada através Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). Com um investimento de cerca de 320 mil euros e o prazo de execução de um ano, a obra diz respeito à remodelação, ampliação e arranjos exteriores da casa do escritor.