Famalicão: Maioria aprova relatório de gestão e contas com mais dois milhões para a área social e uma redução da dívida

O relatório de gestão e os documentos de prestação de contas do ano de 2020 do município de Famalicão foram aprovados esta segunda-feira, em reunião extraordinária, com os votos favoráveis do PSD e CDS. O PS votou contra.

O presidente da Câmara, Paulo Cunha, realça a «boa saúde» financeira do município em ano de pandemia. Além da dívida ter reduzido cerca de 2.2 milhões de euros, passado de 31,7 milhões de euros para 29,5 no final do ano de 2020; houve um aumento de dois milhões de euros de despesa na área social, que Paulo Cunha atribui ao combate à pandemia. O autarca realça que o «município foi eficaz» nas medidas que instaurou para combater a pandemia.

Paulo Cunha diz que «a boa gestão» se deve à captação de receita, mas lembra que o município não conseguiu mais dinheiro pela via do aumento dos impostos. Embora tenha aumentado a receita fiscal, diz que se deve a uma maior dinâmica económica, por exemplo, mais pessoas ativas que geram mais IRS. Destacou também o aumento das receitas de capital, em 150%, provenientes de «termos melhorado a capacidade de captação de fundos comunitários».

Esta «autonomia financeira» do município torna o concelho «mais capaz» e «melhor preparado para enfrentar o futuro», afirma o autarca famalicense. «Oxalá o país tivesse a mesma autonomia financeira do município de Famalicão», observa.