Famalicão: Made In já ajudou a criar 150 empresas e mais de 1800 postos de trabalho

InaFoi inaugurada esta terça-feira, dia 20 de outubro, a terceira incubadora made in que fica no polo de ensino superior de Vale S. Cosme, denominado CIIES – Centro de Investigação, Inovação e Ensino Superior.

Esta incubadora surge pela necessidade de implantar mais projetos que entraram no Gabinete de Apoio ao Empreendedor. As outras duas incubadoras (Riopele e Globus) são mais vocacionadas para projetos ligados à indústria e serviços, a de S. Cosme é sob o mote da sustentabilidade e da economia circular. «O balanço dos bens que consumimos e os que ficam para as gerações vindouras é extremamente importante», realça o presidente da Câmara.

Passam já seis anos desde o início do Made In e da criação das incubadoras. «Seis anos de sucesso na relação entre o município e os empreendedores. Os números ajudam a demonstrar: as mais de 150 empresas criadas, os mais de 180 milhões de euros de investimento, os mais de 1800 postos de trabalho. São números relevantes neste processo», destaca Paulo Cunha.

Ao logo deste tempo, e apesar da crise provocada pela pandemia, o gabinete Made in não tem sentido uma diminuição no número de projetos, como referiu o vereador do Empreendedorismo, Augusto Lima. «Até 30 de setembro deste ano entraram no gabinete 370 novos projetos, mesmo com esta situação que estamos a viver». A tendência continua a ser os negócios tradicionais, nomeadamente ao nível dos serviços, mas com tendência para o comércio eletrónico.

A incubadora de S. Cosme tem capacidade para doze projetos e neste momento estão já instalados três. Rita Duro, com um projeto ligado ao calçado, encontrou o espaço que precisava para impulsionar o seu negócio.

Joana Fraga lançou um projeto de consultoria estratégica para o desenvolvimento de negócios no âmbito de atividades sustentáveis.

O empreendedor Vítor Silva criou a Translasiberica, que apresenta soluções de extração de fumos de soldadura.

Most Popular Topics

Editor Picks