Famalicão: HumanitAVE cria “Ponte de Esperança” entre Famalicão e Guiné-Bissau

“Puntu” – Uma Ponte de Esperança entre Famalicão e Guiné-Bissau é o novo projeto da HumanitAVE – Associação de Emergência Humanitária de Vila Nova de Famalicão, em parceria com o Clube Europeu do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco.

A iniciativa visa angariar livros para bibliotecas escolares na Guiné. Os famalicenses podem apoiar esta causa até ao final do mês de maio. De acordo com Paula Azevedo, professora e voluntária da HumanitAVE, «todos na Guiné deviam ter acesso à leitura e temos de ser nós a proporcionar esse acesso».

O projeto surgiu das missões realizadas pela associação à Guiné, depois de percecionarem que «tanto professores como alunos e a população em geral não têm acesso ao livro», afirmou Paula Azevedo. A voluntária explicou que «têm de combater esta falha». «Os professores não têm livros para ler, para a sua recriação, para passar o tempo e os alunos não têm onde pesquisar e depois isto reflete-se no próprio ensino», declarou. Segundo a professora, a população não tem livros “para estudar, para desenvolver a cultura geral, para desenvolver o hábito de leitura e a própria leitura”.

A escola é muito importante tanto para os professores como para alunos. «As crianças vão para a escola com uma refeição ou sem refeições e vão com grande motivação», notou a voluntária. «Os próprios professores, que há mais dois anos não recebiam o seu ordenado, iam trabalhar para a escola», disse Paula Azevedo. «Toda a comunidade educativa está motivada para aprender e isto é muito bom, é pena é não terem condições para isso», acrescentou, concluindo que «lá, um livro é um tesouro».

A campanha está a decorrer na Escola Camilo Castelo Branco. Os famalicenses podem entregar os livros no átrio da escola, na EB Luís de Camões ou nas bibliotecas escolares do agrupamento de escolas.