Famalicão: Dia do Concelho celebrado com entrega dos selos Visão´25

No dia 28 de setembro de 1835, sete homens tiveram a ousadia de criar o concelho de Famalicão. Perante o desconhecido e rodeados de imensas dificuldades foram em frente; volvidos 185 anos, os famalicenses voltaram a reunir-se para olhar em frente. Em Vilarinho das Cambas, o presidente da Câmara e um punhado de outros autarcas falaram do passado mas sobretudo das ambições do futuro.

Uma ideia personificada na entrega dos Selos Visão`25. «Tantos os que concorreram é um sinal num contexto de dificuldade: de que vivemos num território que acredita, num território arrojado, que é audaz, que vai à luta. Desta forma, homenageiam-se os sete heróis de há 185 anos e, tal como nessa altura, hoje a esmagadora maioria dos famalicenses arregaça as mangas, não vira a cara à luta, olha de frente os problemas e as dificuldades, são empreendedores. Trazem propostas para a comunidade como aquelas que aqui hoje evidenciamos (Selos Visão`25); são exemplo do muito de bom que, num contexto particularmente difícil, se tem feito no nosso concelho», compara o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha.

A cerimónia de comemoração do Dia do Concelho aconteceu em Vilarinho das Cambas, de forma contida, com transmissão via facebook, para cumprir as normas da Direção Geral da Saúde. Conforme o sorteio, a sessão do próximo ano será na União de Freguesias de Arnoso (Santa Maria e Santa Eulália) e Sezures.

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão realçou que a descentralização das cerimónias é a prova de que também há condições nas freguesias, algo «que era impensável que acontecesse nesta freguesia há uns anos atrás», referiu.

Mas a ambição não saiu só das palavras do presidente da Câmara. Também a autarca de Vilarinho das Cambas, que falou na qualidade de anfitriã, referiu-se a necessidades da freguesia. «Queremos acesso a transportes públicos, que são escassos; terrenos com capacidade construtiva para fixar as gentes desta terra; as estradas municipais que atravessam a freguesia estão congestionadas de trânsito e é necessário requalificar o piso e criar passeios para que a circulação de veículos e pessoas se faça em segurança», pediu Judite Costa. Falou também da necessidade de terminar a rede de saneamento e na criação de um parque de lazer para que a população possa usufruir.

O presidente da Câmara, que discursou depois, reconheceu que nem tudo está feito no concelho de Famalicão e mostrou-se satisfeito por ver autarcas ambiciosos.

Vilarinho das Cambas, conhecida durante anos como freguesia rural, é hoje, como evidenciou a autarca, um território de forte pujança industrial que ombreia com os que lhe estão próximos. Aliás, uma das principais áreas industriais do concelho está nesta zona de Famalicão. Paulo Cunha também falou desta pujança industrial que faz do concelho notado a nível nacional. «Portugal espera muito do nosso concelho: da nossa capacidade de exportar, da capacidade de produzir, da capacidade de empregar, da força das nossas associações, da dinâmica dos nossos cidadãos. Daqui vão resultar muitas outras ações que, num contexto de algum esmorecimento em alguns setores, vão ser uma marca de água daquilo que o país precisa fazer no seu todo para que seja bem-sucedido», apontou o autarca famalicense.

Prémios Selos Visão`25

Recorde-se que esta é já a quinta edição dos Selos Famalicão Visão’25, que se distribuem por 4 categorias: Famalicão Made IN – “H.O.M.E.” da Escola Profissional FORAVE; “Re-Coffee”, da Rethink Upcycle Industries; “Emotional Objects”, da João Pericão Faria Concept; “Arraial Cooking Fest”, da Aesacademy; “TechOnTextile”, da Minority Denim; “Cooperação Triangular”, da FORAVE, Universidade do Minho e Continental ITA; “Protect by Hindu”, da Hindu Technical Textiles; “Chérope”, Chez Café Café

B-Smart Famalicão – “Marka – Tritão de ventre laranja: conhecer para preservar”, do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco; “BioTint”, da Minority Denim; “Eco-Trocas Famalicão”, da Ass. Famalicão em Transição; “Sistema de Gestão, Controlo e Automação de Recursos Elétricos”, da Escola Profissional CIOR; “Mobilidade Sustentável para o Campus Escolar”, da CSIF da Área Urbana em parceria com o Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco e Agrupamento de Escolas D. Sancho I; “Paisagem Protegida das Pateiras do Ave”, da CSIF de Fradelos, Ribeirão e Vilarinho

Força V – Famalicão Voluntário – “Muda na Escola”, do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco; “Peles – International Drum Fest”, da CAISA; “Favela 31”, da Ass. de Moradores da CAL; “Sei d’um Jardim…Para brincar e aprender”, do JI de Seide S. Miguel, do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco; “CIOR LunchBox”, da Escola Profissional CIOR; “ParkingFind”, do Agrupamento de Escolas D. Sancho I; “Movimento Quarentena a Bulir”; “Zaragatoa Hidrofer”, Grupo Hidrofer SA

Famalicão Comunitário – “Batman Trompetista”, Luís Barroso; “Vizinhos do Edifício de Lousado”; “Mente Feliz”, pelo Agrupamento de Escolas de Pedome; “AFPAD Vai a Casa”, pela AFPAD; “Aldeias em Festa”, CSIF de Bairro, Carreira, Bente, Delães, Ruivães e Novais; “Atear Histórias”, da CSIF de Castelões, Oliveira Santa Maria, Oliveira São Mateus, Pedome e Riba de Ave; “Vermoim Ativo”, da Junta de Freguesia de Vermoim; “Cuidar Maior”, da Didáxis, Centro Social de Requião, Junta de Freguesia de Requião e Conferência Vicentina de Requião; “Desfolhada”, CSIF de Fradelos, Ribeirão e Vilarinho das Cambas; “Ecoponto das Emoções”, Escola Dr. Nuno Simões do Agrupamento de Escolas D. Sancho I; “Agendate”, da ACIP; “AEC’s da Escola Básica de Vale São Cosme”, Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica de Vale S. Cosme

 

 

 

Most Popular Topics

Editor Picks