Carta aberta ao Primeiro-Ministro pelo futuro do desporto

O Comité Olímpico de Portugal (COP), o Comité Paralímpico de Portugal (CPP) e a Confederação do Desporto de Portugal (CDP) dirigiram uma carta aberta ao Primeiro-Ministro de Portugal com o objetivo de alertar para o impacto que a falta de medidas públicas está a trazer ao desporto. «A situação pandémica deu origem a uma crise desportiva», que pode pôr em causa o futuro do desporto, dizem em carta divulgada pela Agência Lusa.

Estas três estruturas dizem que, ao contrário de outros setores, no desporto não foram implementadas medidas com impacto direto e dão como exemplo mais recente a proposta de lei do Orçamento de Estado para 2021.

As estruturas representativas das federações desportivas nacionais denunciam que «Portugal tem ignorado os exemplos de outros países europeus que convergem no sentido de apoio público urgente ao Desporto».

Ainda na carta, os abaixo assinados, em nome do Movimento Associativo Desportivo «e perante a evidente desconsideração pelas propostas de um setor com uma imprescindível função educativa, de saúde pública e desenvolvimento socioeconómico – nomeadamente num contexto de crise sanitária –, apelam a V. Exª para que, no âmbito da ação governativa, se equacionem medidas e construam políticas que ajudem o Desporto nacional a enfrentar a grave situação que temos perante nós», remata a missiva.

As Federações recordam que, com a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas foram disputadas sem público, canceladas ou adiadas – casos dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, do Euro2020 e da Copa América – ou suspensos, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais de todas as modalidades.