Famalicão: Câmara pede empréstimo de quase um milhão de euros para a Loja do Cidadão

A Assembleia Municipal, reunida na passada sexta-feira, autorizou a Câmara a contrair um empréstimo no valor de 983.780,54 euros para construir a Loja do Cidadão, cujos projetos da especialidade estão aprovados, e que será instalada no antigo supermercado Inô, junto aos CTT.

Este empréstimo, que corresponde a 80% do valor da obra, é feito à Linha BEI PT 2020 – Autarquias, que foi oficializada pelo Ministro das Finanças, Mário Centeno, e pelo Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques. Trata-se de uma linha de 250 milhões de euros, que vai apoiar o financiamento da contrapartida nacional de operações de investimento aprovadas no âmbito do Portugal 2020, promovidas pelas autarquias locais e suas associações, entidades intermunicipais e empresas do setor local.

Na Assembleia Municipal, o PS aprovou a proposta mas deixou críticas ao atraso da obra e aos anos que o município de Famalicão pagou renda por um espaço que se tem mantido desocupado. Paulo Pinto disse que a Câmara, há anos, não fez tudo o que lhe competia e que tem culpa no atraso.

O presidente Paulo Cunha contrapôs e disse que a única entidade que até hoje se esforçou por ter uma loja do cidadão foi a Câmara Municipal de Famalicão. Paulo Cunha lembrou que há anos que há espaço e projetos.

Armindo Gomes, do CDS, frisou que a Câmara fez bem quando, em 2015, arrendou um espaço central, para instalar a Loja do Cidadão. Lamentou o atraso, mas vincou que o mais importante é que a obra vai ser feita.

O deputado do PSD Jorge Paulo Oliveira acrescentou que a Câmara foi obrigada a contrair um empréstimo para fazer uma obra que vai albergar serviços do Estado (Finanças, Segurança Social, Registo Civil, Registo Predial), quando outros municípios deste país tiveram a obra 100% paga com fundos que não foram municipais.

Most Popular Topics

Editor Picks