Famalicão: Cabana Solidária do Pai Natal abre portas no sábado

A Cabana Solidária do Pai Natal de Vila Nova de Famalicão abre portas no próximo sábado, dia 12 de dezembro, para receber os contributos solidários dos famalicenses para as famílias mais necessitadas do concelho. Estará instalada no topo norte da Praça D. Maria II até ao dia 24 de dezembro.

Este será o símbolo maior da campanha “Todos por todos” que pretende ajudar os famalicenses que atravessam problemas económicos.

Assim, além da Cabana do Pai Natal haverá muitos outros locais espalhados pelo concelho, onde os famalicenses poderão deixar os seus donativos. Isto só é possível porque as Juntas de Freguesia e as Comissões Sociais Inter-Freguesias estão empenhadas em melhorar o Natal aos famalicenses.

A Campanha de Natal Todos por Todos está pronta a receber donativos em todas as sedes de Juntas de Freguesia, nos Agrupamentos de Escolas (Camilo Castelo Branco, D. Sancho I, Dona Maria II e Gondifelos), nos cerca de 60 estabelecimentos comerciais e em duas dezenas de empresas aderentes. Todos funcionam como pontos de recolha de bens de primeira necessidade, sobretudo produtos alimentares e de higiene pessoal, sendo estes últimos referenciados pelos serviços de ação social da autarquia como prioritários.

«O Natal é sempre uma oportunidade para afinarmos o nosso espírito solidário, mas este ano, por maioria de razões, é nossa obrigação estarmos mais sensíveis porque há mais pessoas a precisarem da nossa ajuda», refere o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha.

Recorde-se que o projeto Todos por Todos é o nome da campanha social lançada pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão em Junho para ajudar as famílias famalicenses que precisam de ser ajudadas, mas também para estimular o comércio tradicional e os produtores locais.

Através desta campanha, os cidadãos podem entregar donativos em género, mas podem igualmente adquirir nos estabelecimentos aderentes vales que serão depois distribuídos pelas famílias identificadas como beneficiárias, pelas várias CSIF’s e que podem ser trocados por bens nesses mesmo comerciantes aderentes.