Famalicão: Administrador do hospital de Riba de Ave terá incluído familiares e amigos no plano de vacinação contra a covid-19

Segundo o Jornal “Correio da Manhã”, o administrador do hospital de Riba de Ave, Salazar Coimbra, terá sido vacinado, assim como a sua filha, a mulher e uma prima rececionista, considerados não prioritários no plano de vacinação contra a covid-19. Este processo de vacinação terá ocorrido nos dias 14 e 15 de janeiro. A segunda dose será a 11 de fevereiro.

O Hospital afasta cenário de fraude e fala em doses remanescentes.

A filha, médica no Hospital de Guimarães está em licença há um ano, mas aparece como médica internista no serviço de internamento Covid-19. A mulher, não trabalha nem lhe é conhecida profissão, mas surge na lista como médica do serviço Covid-19.

Segundo o Jornal Correio da Manhã, além da mulher e filha, também Salazar Coimbra (médico mas alegadamente sem contacto com doentes) terá sido vacinado.

Além destes, outros profissionais considerados não prioritários foram incluídos na lista, caso de uma técnica superior administrativa, uma podologista, cinco fisioterapêutas, quatro terapêutas da fala, uma rececionista, o porteiro e um empregado de armazém.

De fora da vacinação terão ficado cerca de 20 médicos e enfermeiros, entre outros profissionais, que trabalham realmente no internamento Covid. O Jornal Correio da Manhã fala em revolta destes profissionais e adianta que na passada sexta-feira terão sido chamados para vacinação dez enfermeiros que tinham ficado de fora.

O hospital Narciso Ferreira reagiu através do seu enfermeiro-diretor, Raul Marques, que afirma que as suspeitas de fraude «são totalmente falsas e infundadas», estando ao dispor para esclarecer as «listas de profissionais da instituição, os critérios aplicados na seleção dos profissionais de primeira linha e das doses remanescentes a quem foram aplicadas».