Este Natal dê um presente ao seu coração

A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) lançou uma campanha com o mote: “Este Natal dê um presente ao seu coração”, com o objetivo de alertar a população para a importância de cuidar da saúde do coração, como forma de prevenção da doença coronária ou das suas consequências.

Assim, apelam aos cuidados com os excessos natalícios; seguir as orientações do médico assistente; não se esquecer de tomar a medicação habitual para as doenças crónicas. Em casos de emergência, alertam para que se ligue para o 112, sublinhando que os espaços para tratamento da doença coronária são seguros.

«Neste tempo de pandemia Covid-19, o seguimento e o tratamento das doenças crónicas não pode ser descurado. Apesar das atuais restrições, as pessoas com doenças coronárias e outras patologias crónicas devem lembrar-se de comprar e de tomar a medicação corretamente, como forma de prevenir possíveis complicações, que poderão ter consequências graves para a sua saúde ou ser fatais», afirma João Brum Silveira, presidente da APIC.

Recorde-se que o enfarte agudo do miocárdio, ou ataque cardíaco, resulta da obstrução de uma das artérias do coração, que faz com que uma parte do músculo cardíaco fique em sofrimento por falta de oxigénio e nutrientes. Esta obstrução é habitualmente causada pela formação de um coágulo devido à rotura de uma placa de colesterol.

Os sintomas mais comuns, para os quais as pessoas devem estar despertas, são a dor no peito, por vezes com irradiação ao braço esquerdo, costas e pescoço, acompanhada de suores, náuseas, vómitos, falta de ar e ansiedade. Normalmente, os sintomas duram mais de 20 minutos, mas também podem ser intermitentes. Podem ocorrer de forma repentina ou gradualmente, ao longo de vários minutos.

Na presença destes sintomas é importante ligar imediatamente para o número de emergência médica –112. Não deve tentar chegar a um hospital pelos seus próprios meios porque este poderá ser um centro sem capacidade para realizar o tratamento mais adequado, situação não acontece quando se liga para o 112.