País

Empresa pioneira de produção de Pellets a nível europeu recebeu a visita do presidente da Câmara da Póvoa de Varzim

A Tec Pellets, que produz pellets de biomassa, um combustível cilíndrico mais barato e limpo que provém dos resíduos da madeira e da floresta, sediada em Balasar, recebeu, esta quinta feira a visita do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira.

O empresário Avelino Reis deu a conhecer o seu negócio, um projeto de grande relevância para o desenvolvimento da economia nacional, através de um impacto direto nas exportações nacionais, e para a competitividade da região, através do aumento da qualificação e do poder de compra dos trabalhadores locais.

A sua produção atual é maioritariamente para exportação contribuindo desta forma para melhorar a balança de exportações. Tem como principais clientes os maiores produtores de energia elétrica da União Europeia, que se situam nomeadamente no Reino Unido, Alemanha, Dinamarca e Suécia.

Esta empresa assenta em dois investimentos fundamentais: a caldeira, inovadora pelo seu tamanho e pela tecnologia utilizada, e os silos de matéria-prima e de biomassa, altamente inovadores pela sua ação combinada, resultante da tecnologia implementada na caldeira.

A Tec Pellets foi a primeira empresa europeia cujo processo produtivo apresenta uma otimização dos silos de secagem de biomassa e de matéria-prima com o objetivo de reduzir a humidade e, consequentemente, os seus consumos, assim obtendo poupanças em termos económico e um melhor uso dos recursos naturais, tais como a madeira e a biomassa florestal.

A unidade produtiva de pellets iniciou a sua laboração no primeiro trimestre de 2013. Estando equipada com as mais recentes tecnologias a nível de equipamentos, permite a obtenção de um produto de elevada qualidade que garante as mais exigentes especificações dos clientes internacionais.

A localização da Tec Pellets (Balasar – Póvoa de Varzim) permite garantir com facilidade a exportação da sua produção por via marítima, com menor impacto ambiental a nível de emissões de CO2. Tem a sua logística suportada pela Transfradelos, também do empresário Avelino Reis, que possui uma grande frota de viaturas.

A criação do Nó da A7 seria uma mais-valia para esta empresa no sentido em que iria facilitar, ainda mais, o acesso ao Porto de Leixões.

Previous post

Bombeiros chamados ao "Shikan"

Next post

AMOB exporta máquina com cerca de 80 toneladas para o Dubai

Cidade Hoje