Concelho

Economia e Internacionalização entram no novo Gabinete de Apoio ao Emigrante

A Câmara Municipal e a Secretaria de Estado das Comunidades Portugueses assinaram, na manhã desta sexta-feira, o protocolo para a criação do Gabinete de Apoio ao Emigrante de segunda geração. O serviço, que funciona no Balcão Único, dispõe de várias valências, nomeadamente de aconselhamento sobre investimento e apoio a micro e pequenos investimentos com origem nas comunidades portuguesas, como destacou, na ocasião, o Secretário de Estado, José Luís Carneiro

Na sessão que decorreu no salão nobre dos Paços do Concelho, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, referiu que o gabinete de segunda geração qualifica, ainda mais, o que já funciona desde 2009. «São novas competências que permitem aos famalicenses que estão fora do país estarem mais perto de medidas locais e nacionais e das quais podem beneficiar». A segunda geração de gabinetes abre-se para a economia, investimento e internacionalização, áreas onde o município tem apostado.

Na cerimónia, Paulo Cunha deu ainda conta do projeto Famalicenses pelo Mundo, iniciativa que visa identificar quem são e onde estão os famalicenses no sentido de os fazer, também, embaixadores do concelho, projetando e divulgando, junto das respetivas comunidades, as mais-valias do território. A ideia é, segundo Paulo Cunha, «encurtar distâncias», através da partilha de informações e de notícias, fortalecendo os laços de pertença, criando condições para que possam ajudar-se reciprocamente.

“Famalicenses pelo Mundo” está disponível no portal oficial do município dando a possibilidade aos emigrantes de se registarem e se associarem a este projeto comunitário. Para facilitar o contacto e partilha de experiências e informações está já, também, disponível uma página no Facebook com o nome Famalicenses no Mundo.

Este projeto vai ao encontro das novas funções do Gabinete de Apoio ao Emigrante de segunda geração. O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, confirma que os novos gabinetes assumem funções no âmbito do investimento e da economia. «A partir de agora, os gabinetes vão inserir uma unidade de apoio ao investidor da diáspora, com funções económicas e apoiando e promovendo o investimento», de portugueses na diáspora que querem investir na sua terra de origem. Mas também micro ou pequenos investimentos que tenham a intenção de se internacionalizarem pelas comunidades portuguesas no mundo.

Previous post

Dia Internacional da Mulher

Next post

Apresente a sua ideia no Viveiro na Casa da Juventude

Cidade Hoje