No caso dos REE (resíduos elétricos e eletrónicos), o consumo é crescente e “é frequente o desvio destes resíduos para circuitos paralelos”, o que “ainda dificulta mais” o alcance das metas. “Das cerca de 100 mil toneladas de REEE potencialmente gerados em 2019, estima-se que 77% não foram recolhidos e tratados pelo circuito implementado pelas entidades gestoras”, afirma a associação.