Despiste em Arcozelo deixa homem ferido com gravidade

Um despiste esta sexta feira numa via municipal no concelho de Vila Verde deixou em estado grave condutor de um carro. A viatura caiu mesmo num barranco. O acidente aconteceu na freguesia de Arcozelo, na via que liga à Estrada Nacional (EN) 202, via Marrancos.

Ao que foi possível apurar o carro entrou em despiste numa curva, bateu num marco de água e acabou por sair para fora da estrada. Os Bombeiros Voluntários de Vila Verde, juntamente com elementos da SIV de Ponte de Lima e VMER de Braga, socorreram o indivíduo, que será natural de Arcozelo.

“Apesar da informação inicial para socorro apontar para encarcerado, à nossa chegada a vítima estava fora da viatura”, referiu fonte envolvida no socorro, que mobilizou para o teatro de operações 11 elementos.

Com ferimentos considerados “graves”, a vítima foi transportada para o Hospital de Braga.

A GNR tomou conta da ocorrência.

Fonte: Diário do Minho

Futebol pode receber cartão de cor azul que expulsa por 10 minutos

O futebol prepara-se para receber um novo cartão, de cor azul. Segundo avançam os ingleses do The Telegraph, o Internacional Football Association Board (IFAB) prepara-se para dar mais cor aos castigos no decurso de uma partida de futebol.

Este novo cartão vai expulsar um jogador de forma temporária e em determinadas condições. O jogador que vir o cartão azul será expulso por dez minutos se cometer uma falta antidesportiva ou faltar ao respeito ao árbitro. Dois cartões azuis na mesma partida dá direito a vermelho, ou seja, expulsão definitiva, tal como acontece com o duplo amarelo. O cartão vermelho passa também a aplicar-se em caso de exibição de um azul e outro amarelo.

Confirmando-se esta medida da IFAB os primeiros testes devem arrancar no próximo verão.

Em 2023 GNR regista 14 824 crimes de violência doméstica

Em ações de combate à violência doméstica, a GNR dá conta dos dados registados nos últimos dois anos. Assim, durante o ano 2022, foram registados 14 636 crimes de violência doméstica, tendo sido detidas 1 509 pessoas; em 2023, verificaram-se 14 824 crimes e foram efetuadas 1 587 detenções (dados provisórios).

A GNR recorda que a violência doméstica é crime público e denunciar é uma responsabilidade coletiva. Se precisar de ajuda ou tiver conhecimento de alguma situação de violência doméstica participe: no Portal Queixa Eletrónica, em queixaselectronicas.mai.gov.pt; Via telefónica, através do número de telefone: 112; no Posto da GNR mais próximo à sua área de residência, tendo os nossos contactos sempre à mão em www.gnr.pt/contactos.aspx; na aplicação App MAI112 disponível e destinada exclusivamente aos cidadãos surdos, em http://www.112.pt/Paginas/Home.aspx; na aplicação SMS Segurança, direcionada a pessoas surdas em www.gnr.pt/MVC_GNR/Home/SmsSeguranca.

A GNR dispõe de militares com formação específica para vítimas vulneráveis e núcleos de investigação de apoio a vítimas específicas para crimes com maior complexidade que envolvam todo o tipo de vítimas vulneráveis onde se incluem crianças, mulheres e idosos.

No entanto, a GNR alerta que o melhor é a prevenção dos comportamentos violentos, para isso sensibiliza a comunidade para a promoção de uma cultura de não-violência. Neste âmbito, a GNR tem vindo a reforçar as campanhas de sensibilização e a apostar em ações específicas de formação do seu efetivo, para que esteja cada vez mais bem preparado para participar, enquadrar, tratar e acompanhar este tipo de situações, melhorando ainda a sua rede de salas de atendimento às vítimas.

“Taxa Zero ao Volante” alerta condutores para os riscos da condução sob o efeito do álcool

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançam amanhã, dia 1 de fevereiro, a Campanha de Segurança Rodoviária “Taxa Zero ao Volante”, inserida no Plano Nacional de Fiscalização (PNF) de 2024.

A campanha vai decorrer entre os dias 1 e 7 de fevereiro, com o objetivo de alertar os condutores para os riscos da condução sob a influência do álcool.

As operações de fiscalização, a realizar pela GNR e pela PSP, vão incidir em vias e acessos com elevado fluxo rodoviário.

Recorde-se que em 2022 dois em cada cinco condutores mortos em acidentes de viação apresentavam uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l e três em cada quatro destes condutores tinham uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l.

Os agentes policiais adiantam que com uma taxa de álcool no sangue de 0,5 g/l o risco de sofrer um acidente grave ou mortal duplica; que os acidentes que decorrem da condução sob a influência do álcool são particularmente graves; que o álcool diminui o campo visual, provocando a chamada visão em túnel. «Esta perda de capacidades, bem como as alterações de comportamento que podem levar a estados de euforia e de desinibição, aumentam de forma muito significativa o risco de envolvimento em acidentes rodoviários, escrevem, em comunicado.

Das 12 campanhas de sensibilização e de fiscalização planeadas no âmbito do PNF de 2024, esta é a segunda. Até ao final do ano serão realizadas mais 10 campanhas, uma por mês, com ações de sensibilização e de fiscalização.

Na primeira campanha, que decorreu em janeiro, foram realizadas cinco ações, durante as quais foram sensibilizadas cerca de 600 pessoas presencialmente. Quanto a ações de fiscalização, o número de condutores fiscalizados presencialmente foi perto de 49.500 e cerca de cinco milhões de veículos foram fiscalizados através de radares.

As campanhas inseridas nos planos nacionais de fiscalização são realizadas anualmente pela ANSR, GNR e PSP, desde 2020, com temáticas definidas com base nas recomendações europeias estabelecidas para cada um dos anos.

O PNF de 2023 consagrou como prioritários os temas Velocidade, Álcool, Acessórios de segurança e Telemóvel.

Relativamente a 2024, para além dos quatro temas acima referidos, foi ainda adicionado um novo capítulo sobre a fiscalização dos veículos de duas rodas a motor.

Indícios de recuperação nas exportações do setor têxtil e vestuário

Em novembro passado, o setor têxtil e vestuário exportou 503 milhões de euros, uma quebra de cerca de 1% em valor, face ao mês homólogo do ano anterior. Embora as exportações de matérias têxteis tenham, ainda, ficado no vermelho (-11%), o vestuário e os têxteis-lar e outros têxteis confecionados recuperaram, com 2% e 9% de crescimento, respetivamente.

Também em volume registou-se um crescimento nas exportações de têxteis-lar e outros têxteis confecionados (+6%) e uma melhoria (ainda negativa) nas exportações de vestuário (-1%).

Itália foi o destino que mais cresceu em valor (+6 milhões de euros, equivalente a +16%) e os EUA o que registou a maior quebra (-4,4 milhões de euros, equivalente a -11%). Para Espanha exportou-se -9% em volume, mas mais 4% em valor, tendo desta forma aumentado o preço médio por quilo exportado.

Em valor acumulado, e até novembro de 2023, Portugal exportou 5.396 milhões de euros (-5%) face ao período homologo de 2022.

Sindicato dos Funcionários Judiciais anuncia greve que começa segunda-feira

O Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) apresentou um novo pré-aviso de greve às horas extraordinárias. A paralisação é para começar na próxima segunda-feira e por tempo indeterminado. Vai decorrer todos os dias entre as 12h30 e as 13h30 e entre as 17 e as 9 horas do dia seguinte. Sendo uma greve em horário em que as secretarias judiciais estão encerradas, o SFJ diz que não há lugar à proposta de serviços mínimos, «por inexistência dos mesmos. Por se tratar de períodos em que as secretarias judiciais estão encerradas, a segurança e a manutenção das instalações e equipamentos é assegurada pelos profissionais a quem competem essas funções», refere o sindicato.

Recorde-se que o ano que recentemente terminou ficou marcado por várias greves dos funcionários judiciais, repartidas pelo SFJ e pelo Sindicato dos Oficiais de Justiça.

Em causa, e segundo o SFJ, está a valorização do trabalho fora das horas de serviço e o reconhecimento dos riscos, em termos de saúde, «para uma carreira que todos os dias trabalha com portadores de doenças infetocontagiosas, nomeadamente na realização de inquirições e primeiros interrogatórios de arguidos detidos, sem quaisquer condições».

O sindicato pretende, ainda, a abertura de um processo negocial para contagem do tempo de congelamento da carreira, a colocação a concurso de todos os lugares ocupados, em regime de substituição/escolhas, o reforço do quadro de oficiais de justiça e o direito a férias, nos termos da lei geral.

Pagamento pelos sacos plásticos leves foi adiado

O pagamento de quatro cêntimos pelo uso de sacos plásticos leves e muito leves foi adiado. Estava previsto, no Orçamento de Estado, que a medida entrasse em vigor a 1 de janeiro, mas foi adiada devido a motivos processuais e operacionais, segundo relata a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição.

Em declarações à SIC, o Ministério do Ambiente disse que tudo está a ser feito para que a cobrança da taxa venha a acontecer brevemente, admitindo que até final de março a situação fique regularizada.

Além da regulamentação da taxa ter que ser promulgada pelo Presidente da República, o Governo assume preocupações com a necessidade de escoamento dos stocks e com a dificuldade de marcação deste tipo de sacos de plástico.

A Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição realça, também, que não estão esclarecidas as questões, por parte dos ministérios do Ambiente e das Finanças, sobre a forma de cobrança.