A redução de estruturas (saída de trabalhadores e fecho de agências) é comum a toda a banca europeia. A redução de funcionários que já vinha desde a crise anterior (iniciada em 2008) deverá ganhar agora nova força, alavancada na crise pandémica. Segundo analistas, os bancos têm alicerçado os lucros na redução de custos.