D. Jorge Ortiga pede «escrupuloso» cumprimento das medidas do novo confinamento

Em virtude do novo confinamento decretado pelo governo, o Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga, pede aos fiéis que sejam «exímios cumpridores» das medidas estipuladas em Conselho de Ministros. «Seremos cumpridores escrupulosos de tudo quanto nos é determinado», começa por dizer.

O prelado afirma que, com o confinamento, será ainda mais necessário que a comunidade se una, tornando a circunstância numa oportunidade de «solidariedade afectiva e solicitude efectiva», concretizando «uma fraternidade que a pandemia não só não pode destruir mas, antes pelo contrário, deve tornar mais forte e consistente», apela.

O Arcebispo sublinha a oportunidade de os fiéis participarem nas eucaristias e pede que se evitem outro tipo de celebrações que, fora do âmbito litúrgico, possam provocar mais contágios.

Neste sentido, casamentos e baptizados devem ser adiados, «não pela celebração em si, mas por aquilo que provocam. Poderão estar presentes poucas pessoas. Só que, mesmo que sejam famílias, procedem de ambientes diferentes e podem tornar-se portadores do vírus provocando contágios que deverão ser evitados», alerta.