[ATUALIZAÇÃO] Crime em Gondifelos: Homem mata esposa a tiro e suicida-se logo de seguida 129

[ATUALIZAÇÃO] Crime em Gondifelos: Homem mata esposa a tiro e suicida-se logo de seguida 130

José Carlos Ribeiro, picheleiro de 61 anos, matou a tiro a sua companheira, Otília Castro, funcionária de uma têxtil de 56 anos, e suicidou-se logo de seguida.

Ao que a Cidade Hoje conseguiu apurar, o alerta para esta situação foi dado por volta das 9 da manhã, na habitação onde agressor e vítima moravam, na Rua Sr. das Penices, em Gondifelos.

Suspeita-se que o crime possa não ter acontecido esta manhã, uma vez que o casal terá faltado a um convívio com vizinhos este sábado e, durante a noite, a moradia esteve sempre com as luzes de algumas divisões sempre ligadas. Uma situação que gerou alguma desconfiança entre a vizinhança e levou à chamada de um familiar para perceber o que se estaria a passar.

Caminho dá acesso ao local do crime. (Imagem: CMTV)

Depois do alerta, os Bombeiros Voluntários Famalicenses encontravam a vítima sem vida e o agressor com sinais vitais. Apesar dos esforços no socorro, o homem acabou por também vir a falecer enquanto era assistido.

As autoridades investigam agora o cenário do crime. Tudo parece indicar para que que possa ter havido confrontos físicos antes do homicídio, uma vez que o interior da habitação estaria bastante remexido.

De acordo com pessoas próximas do casal, os desentendimentos entre estes duas pessoas eram uma constante. José Carlos Ribeiro terá revelado a amigos que não estaria a saber lidar com as discussões, alertando que um dia poderia “perder a cabeça”, enquanto que a vítima, Otília Castro, confessou a colegas de trabalho a relação tensa que mantinha com o marido, adiantando que nas próximas semanas iria tentar fazer com que ele deixasse a casa que estes partilharam ao longo dos últimos anos.

Em declarações ao Correio da Manhã, o presidente da junta da união de freguesia de Gondifelos, Cavalões e Outiz e amigo deste casal, Manuel Novais, disse não existir motivos para o crime, embora homicida fosse uma pessoa muito protetora / possessiva.

GNR de Famalicão e PJ acompanham e investigam o caso.

Most Popular Topics

Editor Picks