Covid-19: PSP e GNR juntas em patrulhamento

A Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública iniciam, a partir desta sexta-feira, e até ao próximo dia 8 de abril, quarta-feira, operações conjuntas de intensificação do patrulhamento, ações de sensibilização e fiscalização, em todo o Território Nacional.

O objetivo é apoiar a população e garantir o cumprimento das normas do Estado de Emergência.

Famalicão: Operação de resgate de animais e limpeza na Urbanização das Bétulas

Na manhã desta sexta-feira, decorreu uma ação de limpeza e recolha de animais na Urbanização das Bétulas, junto à Estação de Comboios. Foram recolhidos vários cães que se encontram nas imediações do edifício. O departamento de Ambiente da Câmara Municipal de Famalicão procedeu também a uma operação de limpeza do espaço exterior, que se encontrava com vidros, plásticos e outro tipo de lixo espalhado.

Para a operação, considerada de rotina pelas forças policiais, estiveram presentes cerca de dez efetivos do Comando Distrital da PSP e quatro da Polícia Municipal de Famalicão, além de elementos do departamento de Ambiente da Câmara e do Centro de Recolha de Animal (CROA) de Famalicão.

Apesar do aparato policial, a operação decorre de forma pacífica.

Mercadona doa 670 toneladas de alimentos no primeiro semestre deste ano

A Mercadona doou 670 toneladas de produtos de primeira necessidade no primeiro semestre de 2022 em Portugal. Estas doações, equivalente a mais de 11.000 carrinhos de compra, foram destinadas a mais de 30 cantinas sociais, 5 bancos de alimentos e outras entidades sociais com as quais a empresa colabora. No distrito de Braga, a Mercadona doou 118 toneladas de produtos de primeira necessidade a instituições locais de solidariedade social.

A Mercadona participa, ainda, noutras iniciativas de âmbito nacional que se realizam ao longo do ano. É o caso da “Campanha Vale”, da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, e da campanha “Shop for Goodness” da Cruz Vermelha Portuguesa, cujo montante angariado foi convertido em cartões de compra que contribuem para a autonomização de famílias carenciadas.

Com mais de 1.660 lojas entre Portugal e Espanha, a Mercadona doou 10.800 toneladas de bens na primeira metade deste ano, o equivalente a 180.200 carrinhos de compras, que se destinaram a mais de 410 cantinas sociais, 60 bancos de alimentos e outras entidades sociais de ambos países.

Estas ações resultam do compromisso da empresa em partilhar com a sociedade parte do que dela recebe. No âmbito deste Plano de Responsabilidade Social e a par da doação de alimentos, a Mercadona colabora com 32 fundações e centros ocupacionais na decoração das suas lojas com murais de trencadís (mosaicos típicos do Mediterrâneo), elaborados por mais de mil pessoas com incapacidade intelectual.

Outra linha estratégica deste Plano de Responsabilidade Social é a sustentabilidade, de que é prova o Sistema de Gestão Ambiental próprio, baseado nos princípios da economia circular e focado na otimização logística, eficiência energética, gestão de resíduos, produção sustentável e redução do plástico. Nesse sentido, a Mercadona, junto dos seus fornecedores Totaler, está a desenvolver a Estratégia 6.25: 6 ações para atingir um triplo objetivo até 2025: reduzir o plástico em 25%, que todas as embalagens sejam recicláveis, e reciclar todos os seus resíduos de plástico.

A Mercadona integra desde 2011 o Pacto Mundial das Nações Unidas para a defesa dos valores fundamentais em matéria de Direitos Humanos, Normas Laborais, Meio Ambiente e Luta contra a Corrupção.

Em Braga, as instituições beneficiárias são Associação de Solidariedade Social de S. Tiago de Fraião (Braga), GASC (Barcelos), Lar de Santo António (Guimarães), Dar as Mãos – Associação de Solidariedade Social (Braga), Lar de Santa Estefânia (Braga), Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Braga (Braga) e Lar Nossa Senhora da Misericórdia (Barcelos)

Famalicão: PSP detém duas pessoas (condução ilegal e sob o efeito do álcool)

Na madrugada desta terça-feira, pelas 02H00, a PSP deteve uma mulher, com 31 anos de idade, que conduzia veículo automóvel sem carta de condução.

Também esta terça-feira, um homem, de 38 anos, foi detido por condução de veículo automóvel com taxa de alcoolemia superior à permitida por lei; acusou uma TAS de 1,31 g/l no sangue.

Oito detidos por condução sob o efeito do álcool

O Comando Distrital da Polícia de Segurança Pública dá conta que este fim de semana, em Braga e Famalicão, deteve oito pessoas por condução de automóvel com taxa de álcool superior à permitida por leia.

Os detidos são sete homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 22 e 61 anos de idade. Submetidos aos testes acusaram uma TAS entre 1,490 e 2,746 g/l no sangue.

Famalicão: Homem detido por posse de arma ilegal

A PSP deteve, este fim de semana, um homem de 53 anos de idade, por posse de arma proibida.

O indivíduo tinha em sua posse uma navalha de abertura automática.

A detenção pelos agentes de autoridade aconteceu na cidade de Famalicão.

Esquema de venda de perfumes é notícia falsa, avança o Comando Distrital da PSP

O alegado esquema de venda de perfumes na via pública, junto de senhoras que, ao mesmo tempo seriam importunadas pelos “vendedores”, não passa de uma “fake news” (notícia falsa).

A conclusão é do Comando Distrital da PSP. Depois do apelo, emitido esta quinta-feira, no sentido de ser comunicada às forças de segurança alguma situação semelhante ao que tinha sido noticiado em jornais e nas redes sociais, a PSP, em comunicado emitido na tarde desta sexta-feira, garante «que até ao momento não obtivemos qualquer confirmação, o que indicia ter-se tratado de mais uma “fake news”».

Esta situação causou alarme social na região, pelo que a PSP pede à população que, «com brevidade, comunique às polícias as situações potencialmente ilegais que vivenciar, em vez de as publicitar nas redes sociais».

Recorde-se que esta quinta-feira, em comunicado oficial, o Comando Distrital de Braga da PSP disse ter tomado conhecimento, em notícias publicadas nos jornais e nas redes sociais, de um esquema de venda de perfumes junto de senhoras, sendo que os autores dos alegados crimes tentam «fazer algo mais do que a hipotética venda dos produtos». As notícias causaram alarme social, mas as autoridades policiais não receberam qualquer queixa.