Covid-19: Mais de 4 mil médicos que trabalham fora do SNS querem ser vacinados

O bastonário da Ordem dos Médicos considera inaceitável que os médicos que trabalham fora do Serviço Nacional de Saúde (SNS) não tenham ainda sido contactados para a vacinação contra a covid-19.

Miguel Guimarães enviou, esta sexta-feira, ao Ministério da Saúde, uma primeira lista de mais de 4000 médicos que trabalham fora do SNS e que, até ao momento, não receberam qualquer informação sobre a vacinação e pretendem ser imunizados.

«Tendo o Ministério da Saúde identificado os médicos e profissionais de saúde como grupo prioritário, não é aceitável que todos os médicos portugueses, incluindo os que trabalham fora do SNS, não tenham sido ainda contactados», condena Miguel Guimarães em nota enviada à comunicação social.

O médico defende que a definição de prioridades e a sua aplicação devem ser uniformes «e envolver todo o país e não apenas uma parte, até porque muitos portugueses encontram hoje resposta para os seus problemas de saúde fora do SNS, seja a título privado ou convencionado».

Miguel Guimarães tomou a iniciativa de fazer um inquérito a todos os médicos para saber quem está fora do SNS, sem informação sobre a vacina e com intenção de a receber. Em poucos dias foram compilados 4043 contactos, «1000 dos quais fazem serviço de urgência. Nesta listagem que enviámos à tutela, há ainda quase 1400 prestadores de serviço, mas que por trabalharem normalmente no SNS sem vínculo e sim através de empresas prestadoras de serviços também não têm sido contemplados», alerta o bastonário.

Covid-19: Novo recorde de infetados, 52.549, no dia em que se sabe que quem estiver em isolamento pode ir votar

Portugal registou, esta terça-feira, um novo recorde diário de infetados pelo novo coronavírus. São 52.549 novos casos e 33 mortes.

O Norte volta a ser região o número mais elevado de infeções, com 22.455 casos. Há, ainda, 10 falecimentos.

No que diz respeito aos internamentos, nas enfermarias estão 1959 pessoas (mais quatro); em UCI há 153 doentes (menos 7).

Recorde-se que esta quarta-feira, o Governo decidiu que as pessoas que estiverem em isolamento no dia das eleições legislativas, marcadas para 30 deste mês, vão poder sair para exercer o seu direito de voto. A informação foi avançada pela ministra Francisca Van Dunem em conferência de imprensa realizada ao início da tarde.

 

Famalicão: Hospital dá formação sobre o parto

O serviço de Obstetrícia do Centro Hospitalar do Médio Ave organizou uma formação denominada “Parir em movimento – anatomia funcional do parto fisiológico”, na qual participaram 30 profissionais de saúde, entre eles médicos obstetras, enfermeiros especialistas e uma fisioterapeuta.

O evento «dinâmico, prático e sensorial» teve a duração de 21 horas, e decorreu nos dias 11, 12 e 13 de janeiro, na Casa do Território.

A instituição quis promover a proximidade, reforçar a interação e uniformizar a linguagem no que diz respeito ao cuidado humanizado no parto. Pretendeu dotar os profissionais de conhecimentos relativos à mobilidade da pelve, à importância do movimento durante o trabalho de parto e a liberdade de escolha pela mulher da melhor posição para parir com o mínimo de intervenção possível. Desta forma, esta formação veio cimentar a transformação que está em curso no Serviço de Obstetrícia do CHMA, em direção à humanização do parto.

Para dar este curso foram convidados quatro enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia dos ACES de Famalicão, Santo Tirso e Trofa.

Uma das convidadas foi a catalã Núria Vives, que é licenciada em Pedagogia pela Universidade Autónoma de Barcelona e pela Universidade La Sorbonne, de Paris e terapeuta Psicomotora, pela Universidade Central de Barcelona. Núria é também membro do Sensory Awareness Leaders Guild. Estuda e colabora com Blandine Calais-Germain há trinta e cinco anos, com quem escreveu o livro “Parir en Movimiento” e participa, desde 2007, na implementação dos novos protocolos de “Estrategia de Atención al Parto Normal”, do Ministério da Saúde espanhol e em diferentes comunidades e hospitais de Espanha.

O CHMA pretende continuar a incentivar a formação dos seus profissionais, sendo que no ano de 2022 estão previstas, ainda no 1º semestre, mais duas formações para os mesmos.

Famalicão: DIGNAmente é o novo projeto da Clínica Marca da Mente

A Clínica Marca da Mente destaca-se, mais uma vez, pela diversidade de serviços e pela inovação na assistência que disponibiliza à comunidade.

É neste sentido e de forma a apoiar as famílias que tenham idosos a seu cargo e que já não conseguem individualmente prestar o auxílio e as condições convenientes ao avanço da idade, que o novo Projeto DIGNAmente encontra o seu propósito.

Assim, comprometemo-nos a apoiar na definição de soluções viáveis e adequadas ao perfil do idoso e da sua família, facultando aconselhamento e orientação mas, essencialmente, uma resposta concreta com base nas suas necessidades e expectativas.

Para que isto seja possível contamos com a colaboração de entidades parceiras que partilham do mesmo interesse – melhor qualidade de vida para os seniores.

Se efetivamente procura ajuda especializada para melhor encaminhar o processo de envelhecimento do seu familiar, irá descobrir na Clínica Marca da Mente uma profissional com larga experiência na área, com um vasto currículo de trabalho com idosos, famílias e de gestão técnica em contexto institucional.

Mais uma vez, estamos aqui para o servir.

Famalicão: Covid-19 afeta Transdev mas transporte público escolar está assegurado

A empresa de transportes Transdev, com quem a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão tem assegurado o serviço de transporte público rodoviário, está confrontada com um crescente número de colaboradores infetados com Covid-19, designadamente, motoristas dos autocarros, que entraram em isolamento profilático.

Perante esta limitação, a Câmara Municipal e a transportadora estão a desenvolver esforços para que não existam perturbações nas carreiras que operam em Vila Nova de Famalicão, «sendo prioridade absoluta», a manutenção das carreiras de transporte escolar. Neste sentido, a autarquia tem preparado um plano de contingência pronto a ser ativado, caso a Transdev não consiga assegurar a totalidade do transporte público escolar.

O Município informa que, até ao momento, «ainda não foi afetada qualquer carreira que está ativa no concelho, contratada pela autarquia, e serão desenvolvidos todos os esforços para que isso não venha a acontecer». No entanto, reconhece, «tem existido supressão de algumas carreiras que atravessam o território concelhio ao abrigo do contrato da empresa de transportes com a CIM do AVE, nomeadamente, no circuito que liga Guimarães a Famalicão».

 

Famalicão: Covid-19 na equipa da Transdev provoca cancelamento de viagens

Algumas viagens realizadas pela Transdev, no concelho de Vila Nova de Famalicão, não estão a ser realizadas.

Ao que a Cidade Hoje conseguiu apurar, na origem do problema está o número de profissionais da transportadora infetados com a Covid-19.

Apesar de tudo, a empresa continua a fazer todos os esforços para garantir que o serviço seja prestado sem prejuízo para os seus utilizadores.

 

Asfixia por vomito poderá ser a causa da morte da criança no Santa Maria, autópsia está a ser realizada

Uma asfixia por vómito terá sido a causa da morte de uma criança de seis anos, que faleceu no passado domingo, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

O caso foi trazido a público pelo facto da criança ter testado positivo à Covid-19 e já ter sido vacinada.

Segundo a SIC Notícias, a autópsia já está a ser realizada, contudo, o resultado dos exames poderão ainda ser demorados.

Vários especialistas apontam que uma asfixia por vómito será a causa mais provável para a morte do menor.

A Procuradoria-Geral da República abriu esta terça-feira um inquérito a este caso.