Covid-19: Especialistas defendem que desconfinamento só em março

Especialistas aconselham que o desconfinamento só aconteça em março, para reduzir o número de contágios e achatar a curva da pandemia.

O Expresso ouviu a equipa de Carlos Antunes, matemático e professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, que defende uma estratégia de desconfinamento «gradual e progressivo». «Se desconfinamos demasiado cedo, não descemos. Outros países, como Áustria ou Inglaterra, começaram a aliviar medidas e viram a incidência entrar num planalto», refere.

Este responsável realça que «para manter o controlo do contágio e não sobrecarregar os serviços de saúde, mantendo-os operacionais, o limiar deveria ser abaixo dos 2 mil casos diários, o que permitiria ter entre 800 e 1000 internamentos, dos quais 150 em cuidados intensivos», afirma ao ‘Expresso’.

Carlos Antunes defende ainda uma estratégia combinada de testagem e rastreio de contactos. «Também não podemos reduzir os recursos para rastreio de contactos assim que a incidência começa a baixar. É o sistema de testagem e rastreio que tem de servir como pressão na mola quando as medidas forem aliviadas», explica.