Covid-19: Cuidadores de crianças e jovens querem ser vacinados

À semelhança do que acontece com os cuidadores de lares de idosos, as pessoas que trabalham com crianças e jovens que residem em casas de acolhimento querem ter prioridade na vacinação contra a covid-19.

Já fizeram dois apelos mas ainda não obtiveram resposta por parte das autoridades.

Agora, tendo em conta que a situação destes cuidadores não foi resolvida e entrou em vigor um novo estado de emergência, fazem um novo apelo às autoridades de saúde.

À Lusa, a presidente da AjudAjudar explicou que as crianças em acolhimento residencial têm vindo a sofrer medidas de confinamento muito mais exigentes do que a população em geral.

«Ou seja, nós não nos podemos esquecer que uma casa de acolhimento residencial é antes de mais uma casa em que aqueles jovens e crianças vivem desde que se levantam até que se deitam e os cuidadores são os adultos de referência destas crianças. Elas precisam do contacto com os cuidadores, que no fundo substituem a sua família», explicou Sónia Rodrigues, acrescentando que estão em causa cerca de 6.200 crianças.

A responsável sublinhou que a vacinação não iria amenizar as medidas de proteção, mas poderia servir, num primeiro momento, para acabar com o trabalho em espelho.

Contactado pela agência Lusa, o coordenador da ‘taskforce’ do plano de vacinação da covid-19, Francisco Ramos, disse que esta questão será resolvida logo que possível, mas recusou-se a avançar uma data.