COVID-19: «Às medidas apresentadas acrescerão todas quantas se revelem necessária»

Face à situação epidémica nacional, a Câmara Municipal de Famalicão elaborou o seu Plano de Reação e de Intervenção Social e Económica que irá vigorar enquanto a situação nacional de luta contra a pandemia do coronavírus também estiver ativa. Das cerca de 30 medidas, destaque para dois pavilhões com 200 camas que servirão de hospital de campanha e de retaguarda aos lares. A nível económico há uma redução do IRS, IMI e Derrama.

O presidente de Câmara apresentou as medidas esta terça-feira. Assim, entre as muitas propostas municipais na área social, destaque para as que se destinam a ajudar os seniores e pessoas mais frágeis, assim como os seus colaboradores.

Muitas das medidas são de caráter excecional que o município está a desenvolver em conjunto com diversos parceiros. Para Paulo Cunha, as «medias apresentadas são um contributo municipal ao combate no plano da saúde pública, têm dimensão local, servem para diminuir os impactos negativos nos cidadãos e focam-se no plano económico porque visam a reabilitação do tecido empresarial do concelho no imediato e no período pós-crise epidémica, complementando as medidas nacionais». Acrescenta o autarca famalicense que «às medidas aqui apresentadas acrescerão todas quantas se revelem necessária para ajudar quem mais precisa e para retomar, tão rapidamente quanto possível, o fulgor empresarial que carateriza Vila Nova de Famalicão».