Concelho

COOPERATIVA ELÉTRICA DE S. SIMÃO DE NOVAIS COM CONTADORES INTELIGENTES PARA UM MELHOR SERVIÇO À POPULAÇÃO

A Cooperativa Elétrica de S. Simão de Novais é a segunda mais antiga do país, já com 85 anos, mas está à frente no grau de modernidade. Entre 2014 e 2016 instalou 3500 contadores (trifásico e monofásico) do tipo inteligente, 30 routers, 30 antenas exteriores, um sistema de transmissão por fibra ótica e um sistema de telecontagem. Este investimento, na ordem de um milhão de euros, permite «economizar, rentabilizar e melhor servir», como realçou Francisco Rodrigues da Administração.

Neste aspeto, a Cooperativa Elétrica de S. Simão de Novais está à frente de outros grandes distribuidores do país, mas a direção acredita que esta é a postura para vencer num mercado dominado por gigantes como a EDP.

Outro segredo para a sua vitalidade é um serviço mais próximo das populações, atento aos seus problemas, para uma rápida resolução. «Temos um espírito de missão e ao servirmos bem, ao termos a nossa rede protegida, estamos a reduzir custos e a poder ser competitivos», continua Francisco Rodrigues.

O administrador presidente da Cooperativa, Manuel Vilela, realça ainda outros dois fatores importantes: saber negociar para ter o melhor preço da energia, «melhor que a EDP»; ter custos reduzidos com a direção e os serviços administrativos. «Os cooperadores não recebem dividendos e os excedentes (lucro) revertem para investimento», afirma Manuel Vilela.

Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Famalicão, destaca ainda outra caraterística digna de registo da Cooperativa Elétrica que é a sua preocupação social, visível no complexo de piscinas que abriu à população e noutras ligações que estabelece com o meio.

O autarca efetuou esta visita no dia 18, no âmbito do programa Made In que se destina a apoiar o empreendedorismo e o investimento. Depois de ouvir a direção e de visitar a instituição, incluindo o Museu, Paulo Cunha realçou o papel da Cooperativa na eletrificação de uma área do território famalicense ainda não contemplada.

Estávamos na década de trinta do século XX e a Cooperativa fazia a distribuição de energia eletrica em baixa tensão às casas de S. Simão, Ruivães, Bente, Landim, Carreira e Seide S. Miguel. Hoje são 3500 clientes e inclui distribuição à rede pública. A concessão desta área tem sido renovada pela Câmara Municipal de Famalicão.

«Num mercado de grande concorrência tem conseguido resultados fantásticos e quem beneficia são as populações. Tem menos custos e um melhor serviço. Um serviço mais próximo e com uma resposta mais célere, o que significa que é um modelo acertado e que a Câmara Municipal acarinha», realça Paulo Cunha.

 

Previous post

Bacalhau na sêmea

Next post

COLIGAÇÃO PSD/CDS-PP APRESENTA-SE AINDA SEM CANDIDATOS

Cidade Hoje